Notícias
Vídeos

Aula 13: Como interpretar e testar o sistema elétrico do ABS instalado na caminhonete Chevrolet S10.


O Sistema de Freios ABS é uma tecnologia automotiva essencial que previne o travamento das rodas durante uma frenagem brusca.

Por: Marcio Ferreira - 01 de dezembro de 2023

O Sistema de Freios ABS é uma tecnologia automotiva essencial que previne o travamento das rodas durante uma frenagem brusca.

Isso ajuda a manter o controle do veículo e reduzir as distâncias de frenagem, aumentando a segurança tanto para o motorista quanto para os passageiros. 

O ABS é amplamente considerado uma inovação importante na indústria automobilística, contribuindo para a prevenção de acidentes. A configuração mais simples é ABS só nas rodas traseiras como vemos na figura 1. 

Vamos começar de cima para baixo e do lado esquerdo:

  • Alimentação positiva direto da bateria +30 passando pelo fusível F13 da caixa localizada no compartimento do motor e ligado no borne 2C.
  • Alimentação positiva pós-chave +15 passa pelo fusível F12 e segue até o borne 2B.
  • Alimentação negativa até o borne 2ª.
  • O borne 2F recebe o sinal enviado pelo interruptor do pedal do freio, este interruptor recebe duas alimentações, uma +30 que passa pelo fusível F09 e chega ao borne B e uma alimentação +15 passando pelo F12 e chega ao borne D.
  • O borne 2D recebe sinal do painel de instrumento se o veículo não tem conversor de sinal de velocidade.

Analisando o lado direito da mesma forma:

  • Os bornes 1C, 1A, 1B, 1D estão ligados à unidade hidráulica, o borne 1D também está ligado ao borne 85 do rele indicador de falhas do ABS.
  • O borne 86 do mesmo rele é alimentado com um pós-chave +15 que também vem do fusível F12.
  • O borne 87 do rele está ligado no aterramento. 
  • O borne 30 do rele vai ligado ao borne 2E do módulo e também ao painel de instrumento para acender a lâmpada de anomalia.
  • Se o veículo tem um conversor do sinal da velocidade esse vai ligado ao borne 2D.  

Esse outro sistema é bem parecido com o sistema elétrico anterior, mas só que agora temos do lado esquerdo os dois sensores dianteiros, o esquerdo ligado nos bornes A2 e B2 e o direito nos bornes B3 e A3.
Do lado direito o conector de diagnóstico no borne B6 e o motor da bomba hidráulica ligados nos bornes J1A E J1B.

Neste sistema o monitoramento do eixo traseiro ainda era feito em conjunto e controlando a velocidade apenas pelo sensor de velocidade. (Figura 03)

O módulo de controle da carroceria monitora os interruptores, do freio de estacionamento, do controle de tração e do controle de declive e também é ele que aciona o rele de ativação do barramento de comunicação. Este rele, quando acionado, fornece alimentação +30 que vem do fusível 33 de 10 amp que está na central do vão do motor para o borne 34 do módulo do abs, para o borne 5 do sensor de aceleração e também borne 5 do sensor de ângulo da direção, tanto a informação do sensor de aceleração, do ângulo do volante, como a comunicação com o aparelho de diagnóstico são feitas pelos bornes 15 e 03 do módulo. 

Do lado direito vemos a ligação dos quatros sensores de velocidade das rodas, que particularmente são os que mais dão defeito na parte do abs e devemos testá-los com o multímetro na escala de resistência, que veremos especificamente na aula de multímetro.

Depois vemos as 4 ligações de rede de comunicação can.

Os maiores problemas elétricos que encontramos no abs são deficiência no contato do conector do módulo e fiação dos sensores de roda.