Oficina Brasil


Inovação no diagnóstico usando osciloscópio e transdutores resultam em eficácia e rapidez

Nesta matéria vamos analisar um caso que exigiu do reparador toda sua experiência na utilização do osciloscópio e transdutores de pressão para descobrir a causa da anomalia presente no veículo

Por Laerte Rabelo

Olá, reparadores!

Vamos enfatizar todos os detalhes referentes ao princípio de funcionamento dos transdutores de pressão, pontos de medição no veículo, entrevista consultiva, assim como toda a dinâmica que envolveu a solução deste caso, a fim de auxiliar o reparador caso se depare com uma problemática similar.

O caso que será apresentado foi cedido, gentilmente, pelo amigo reparador e técnico automotivo Marcelo Reinaldo de Godoy, funcionário da Auto Center Real, situada na cidade de Paracatu, Estado de Figura 1Minas Gerais.

O proprietário de um veículo Renault Duster equipado com um motor 1.6 de 16V, (Fig.1), chegou na oficina relatando que o motor estava com funcionamento irregular, ocasionando perda de potência e consumo excessivo de combustível. Godoy, a princípio, buscou coletar o máximo de informações concernentes ao caso solicitando ao proprietário detalhes relativos ao momento da manifestação da falha, bem como se o veículo tinha passado por alguma manutenção recentemente.

O proprietário prontamente lhe informou que foi realizado um serviço de remoção do cabeçote devido à quebra da correia dentada e consequente empeno das válvulas, informou também que a falha se manifestou de repente e permaneceu constante independente da temperatura, rotação ou regime de funcionamentoFigura 2 do motor.

Registradas essas valiosas informações na ordem de serviço, o próximo passo seria planejar a estratégia de diagnóstico mais adequada para a situação, desta forma o reparador optou por fazer uma análise do vácuo do coletor de admissão com o motor em marcha lenta, utilizando-se para tanto de um osciloscópio em conjunto com o transdutor de vácuo, que consiste basicamente de uma pastilha piezoelétrica que transforma variações de pressão em sinais elétricos, pode ser utilizado para verificar variações de pressão em vários pontos do veículo por exemplo, vácuo do coletor, pressão do cárter e pressão no escapamento, sendo bastante útil para a verificação e análise de componentes mecânicos e eletromecânicos do motor como bicos injetores, válvulas, anéis de segmento, comando de válvulas, cabeçote, dentre outros, evitando assim a desmontagem parcial ou total do motor.

O técnico inseriu o transdutor de vácuo no coletor de admissão e obteve o sinal conforme mostra a figura 2.

A figura 3 exibe em detalhes o sinal obtido pelo transdutor de vácuo.

Figura 3

A confirmação só seria possível após a remoção do cabeçote.O reparador, ao analisar a imagem, identificou facilmente que havia uma falha mecânica neste motor, cujas causas poderiam ser: desgaste no cabeçote, falta de vedação pela junta do cabeçote ou problemas nas válvulas.

Para confirmar seu diagnóstico, Godoy inseriu um outro tipo de transdutor para verificação da pressão de compressão em cada cilindro, a fim de identificar precisamente quais cilindros apresentavam o inconveniente.

A figura 4 apresenta o sinal do transdutor inserido no local da vela de ignição do cilindro número 1.

Figura 4

Dando prosseguimento aos testes, o técnico inseriu o transdutor nos cilindros 2 e 3 obtendo os sinais conforme mostram as figuras 5 e 6, respectivamente.O técnico, ao examinar o sinal, concluiu que a pressão de compressão deste cilindro não apresentava problemas, devido à face plana na parte superior do gráfico que indica que a pressão está superior à máxima suportada pelo transdutor.

Figura 5

Figura 6

Diante dessas imagens que confirmam que as pressões de compressão destes cilindros estavam menores que a do primeiro, o reparador Godoy partiu para a remoção do cabeçote, entretanto, ao iniciar o procedimento, observou que os parafusos que o fixam ao bloco do motor não estavam com o torque especificado, pelo fato de eles estarem bem livres, esta constatação já lhe indicava que estava quase descobrindo a causa da falha do motor.

Figura 7

Após a remoção e exame do cabeçote, o reparador identificou claramente a causa da anomalia do motor. A figura 7 apresenta o cabeçote com sua junta ainda instalada, exibindo os pontos fragilizados da junta.

Figura 8

A figura 8 apresenta, detalhadamente, o ponto de ruptura da junta, provavelmente causada pela aplicação do torque incorreto na instalação do cabeçote na manutenção anterior.

Depois de realizado o reparo, o técnico fez uma nova captura com o transdutor no coletor de admissão do motor para conferir a eficiência do serviço. A figura 9 mostra a imagem que confirma a eficiência e qualidade do reparo.    

Figura 9     

Amigos reparadores, nesta matéria, procurei apresentar o diagnóstico com a utilização dos transdutores, as vantagens que seu uso proporciona ao reparador no que diz respeito a identificação das anomalias de forma rápida e assertiva, evitando com sua utilização desmontagens desnecessárias, promovendo desta forma, a qualidade dos serviços prestados e consequentemente, o aumento da produtividade da oficina.

Comentários