Oficina Brasil


Oficina de moto é destaque na 7° edição da feira do empreendedor do Sebrae em S. Paulo

De olho no segmento, empresários da reparação, investidores e visitantes da feira apresentaram algumas indagações: É possível ter uma oficina de moto de sucesso? Manutenção de moto dá grana?

Por Paulo José de Sousa

Tão importante quanto identificar um defeito em uma motocicleta é saber diagnosticar com precisão os sintomas de mau funcionamento na gestão da oficina.

Será que o segredo do sucesso está na perspectiva do gestor?

O mecânico de motocicletas (empresário) deve pensar como administrador?  

A experiência mostra que é possível e o resultado é bom.

Todas as perguntas serão respondidas ao longo do texto.

O assunto é da maior importância para quem tem oficina ou pretende abrir um negócio, por isso esta matéria está com uma “pegada” mais empreendedora, é o resultado do ciclo de palestras que participei na 7ª edição da feira do empreendedor em S. Paulo, realizada pelo SEBRAE-SP entre 07 a 10 de abril.

A feira de negócios trouxe como novidade uma oficina de motocicletas denominada “Oficina de Moto de Sucesso”.

Fachada da oficina modelo

Nesta matéria apresentarei uma síntese das palestras que foram conduzidas em dois blocos focados nas áreas técnica e gestão de oficinas de motocicletas.  No espaço, uma oficina modelo montada pelo Sindirepa-SP (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de S. Paulo) em parceira com o Sebrae-SP; durante os 4 dias passaram pela oficina mais de 2000 pessoas, parte delas interessadas em investir neste nicho de mercado, aos poucos os negócios do setor de reparação de 2 rodas estão ficando cada vez mais atraentes.

Modelo de oficina de motocicleta

Houve interação do público com consultores do Sebrae-SP e Sindirepa-SP, a escola Senai Conde José Vicente de Azevedo também marcou presença orientando os interessados nos cursos técnicos de sua grade. Fornecedores de ferramentas e peças também deram suporte aos participantes.

Conteúdo resumido das palestras:

  • O Sindirepa-SP abordou os seguintes tópicos: a operação diária da oficina, qualidade dos serviços, boas práticas no atendimento, organização, limpeza, cuidados com a sustentabilidade, descarte correto de materiais (peças e lubrificantes) e o acompanhamento da satisfação do cliente no pós-venda. Assuntos nem sempre valorizados pelos reparadores.

Equipamentos para oficina de moto

  • O Sebrae-SP trouxe temas relacionados a gestão, ex.: como melhorar a administração de sua oficina, gestão financeira, inovação, plano de investimento. Tópicos que obrigatoriamente devem estar na pauta dos mecânicos.

Oficina de motocicleta

Abordagens e questionamentos dos empresários da reparação de motos

Muitos participantes do evento trouxeram algumas indagações, assim como alguns leitores do jornal Oficina Brasil também podem estar com as mesmas dúvidas, são elas:

Oficina de moto dá dinheiro?

Por que tantas empresas não vão bem ou até fecham? 

Vamos tirar nossas conclusões e quem sabe chegar às respostas com coerência, vejamos:

Podemos pensar que qualquer negócio dá lucro, mas em alguns casos o “pecado” fica por conta da falta de administração, infelizmente é uma verdade.

Não basta saber consertar bem a moto, só isso não é garantia de bons negócios, principalmente em épocas de crise econômica. Mercado e demanda existem, mas os diagnósticos não indicam a falta de clientes ou serviços como causa dos principais problemas financeiros das oficinas, o “vilão” da crise interna da oficina pode ser a má administração.

É comum ouvir um reparador reclamar que “quanto mais se trabalha menos dinheiro se ganha” ou “passa o mês e o mecânico não vê a cor do dinheiro”, tudo isso pode estar sinalizando um descontrole.

Motocicleta e equipamentos de borracharia

Gestão de oficina em uma concessionária de marca

É importante entender que consolidação da marca não está baseada apenas na qualidade de suas motocicletas ou nas estratégias do marketing no setor comercial, acredita-se que somente elas não seriam capazes de assegurar a posição no ranking de vendas alcançado, nem tão pouco prever a satisfação de seus clientes no setor de serviços.

A gestão da assistência técnica pode ser uma parcela na administração da concessionária por vezes esquecida, e além disso se propaga que a “oficina é um mal necessário” para aquela marca. Embora a manutenção esteja vinculada à motocicleta vendida (ao menos no prazo de garantia), isso não garante que o cliente utilize os serviços oferecidos no pós-venda da loja onde ele adquiriu o bem, o consumidor sabe que há inúmeras outras oficinas competindo pela sua motocicleta, são concessionárias da marca e assistências particulares.

Para a concessionária, a má conduta influenciará negativamente nas vendas futuras, ou seja, o cliente não voltará mais e fará propagandas negativas não só do setor de serviços, mas também da concessionária como um todo.

O diagnóstico não é dos melhores, talvez seja está a razão para os clientes permanecerem somente durante o prazo da garantia, e depois vão embora.

Portanto conclui-se que só a qualidade do produto não é capaz de fidelizar o cliente na oficina da concessionária.

Motor 3 cilindros em corte, motocicleta Triumph

Motor em corte, motocicleta BMW

Cenário de mercado

Não é novidade para ninguém, todos sabem que há uma competição acirrada entre as oficinas particulares e também as assistências das autorizadas.

Como ferramenta de marketing algumas oficinas particulares já utilizam a especialização, o resultado vem na atração e fidelização de seus clientes.

O consumidor percebe e reconhece os serviços padronizados como um benefício de valor agregado à motocicleta, então porque não tirar proveito disso?

Quem quer se destacar tem que estar muito atento, eliminar tudo que aborrece seus clientes e não deixar de explorar oportunidades preciosas como forma de fidelização.

Principais recomendações para quem atua no segmento de reparação de motocicletas

A receita para alcançar o crescimento está baseada em algumas melhorias que devem estar sincronizadas: qualidade no atendimento ao cliente, redução de custos, serviço de excelência e menor prazo de entrega.

Para aprimorar e ter uma “oficina de moto de sucesso” é necessário olhar também para a administração e pensar no mínimo em três aspectos:

  • Controles financeiros:

Quem faz a gestão da grana, sabe quanto entra e quanto sai.

  • Atendimento ao cliente:

Reduzir a zero as reclamações, o cliente satisfeito é um canal de divulgação de sua oficina.

  • Divulgação:

Utilize canais e instrumentos de divulgação para que o público alvo saiba onde está a oficina, o que ela faz, suas especialidade e horário de funcionamento.

Algumas conclusões tiradas do evento:

Participar de um evento desta modalidade é importante, muda aquela “velha linha de pensamento”. É fundamental ter um olhar otimista, o desafio é mudar o paradigma, em vez de pensar em sobreviver, por que não pensar em crescimento. Mercado para isso nós temos, para quem conserta moto ou está pensando em abrir uma oficina, no Brasil são aproximadamente 26.159.702 milhões de motocicletas rodando pelas ruas e estradas, os dados são da ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas e Bicicletas) Essas motocicletas precisam de bons reparadores que tenham um olhar de administrador.

Portanto, avalie você mesmo:

  • Não da para pensar em ter uma oficina de sucesso sem colocar no mesmo nível de importância duas competências, são elas: conhecimento técnico e gestão de negócios.
  • Muita gente está de olho no negócio, pode ser uma promessa de melhores expectativas futuras para o setor.
  • É necessário aprender novas formas de pensar, utilizar metodologias de trabalho na busca de soluções, oportunidades e assim tornar a oficina competitiva e inovadora.

Motocicleta e equipamentos de oficina

Observações finais:

No pós-venda de uma concessionária de motocicletas ou em uma oficina multimarcas sempre irão ocorrer problemas, não adianta ficar esperando que uma solução venha como um “milagre”, lembre-se que o cliente tem pressa, cabe ao reparador aprimorar suas habilidades técnicas e administrativas. Então a dica é fazer cursos, pensando sempre nos seguintes desafios:  como tornar a assistência técnica rentável, como fazer o cliente consumir os serviços oferecidos pelo departamento e sentir-se satisfeito, mantendo-se leal, voltando a comprar novos produtos e serviços.

Serviços:

SINDIREPA-SP

Apoio às empresas da reparação automotiva com ações de melhoria do ambiente empresarial

Fone: 11- 5594 1010

SEBRAE

Curso “setor de segmento” para empresários da reparação de motocicleta, cujo o foco é a gestão de oficina de motocicleta. 

Fone: 11 – 2090 4250

SENAI 

Cursos: Mecânica/Eletricidade e Injeção eletrônica de motocicletas

Fone: 11- 2066 1988

Comentários