Oficina Brasil


Programa Brasileiro de Etiquetagem de pneus é apresentado pela Goodyear

PBE vai ajudar o consumidor a fazer a escolha certa no hora de trocar de pneus. Segundo a fabricante, haverá cursos paraos lojistas e colaboradores para fornecer o melhor produto ao cliente final

Por Da Redação

Segundo lei votada em 2012, da Portaria 544/12 do Inmetro, estabelece-se que, a partir de outubro de 2016, todos os pneus vendidos no Brasil, fabricados em solo nacional ou importados, devem ser etiquetados e também que a partir de abril de 2015 os produtos de uma nova família já deverão atender a esta certificação.

O PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem), que é regido pelo Inmetro, padroniza a aplicação de etiquetas com informações de eficiência energética, segurança e meio ambiente em pneus novos contemplados pelo programa. 

A etiqueta irá trazer informações sobre três critérios exigidos pelo PBE: resistência ao rolamento, aderência no molhado e ruído externo. A resistência ao rolamento está relacionada à eficiência energética e ao consumo de combustível de veículos. Quanto menor o consumo, menor o impacto no meio ambiente, pois reduz a emissão de CO2. A aderência em piso molhado indica o desempenho de segurança de um pneu, enquanto que o ruído externo, medido em decibéis, traz informações sobre o nível de impacto no ambiente e conforto de quem dirige.

De acordo com a Goodyear, o processo de desenvolvimento e fabricação de um pneu da marca considera, além dos três critérios exigidos pelo Inmetro, dez critérios que são fatores considerados pelos consumidores na hora da compra. Além disso, a marca ainda elege mais 50 critérios, dentre eles ruído interno e frenagem no molhado, que são englobados entre os itens considerados importantes para garantir desempenho em qualquer tipo e aplicação do pneu.

A Goodyear vem investindo na modernização de suas capacidades produtivas, tendo o ciclo atual iniciado em 2013 com a renovação de portfólio e investimentos de US$ 240 milhões na modernização da fábrica de Americana (interior de São Paulo). A etiquetagem junta-se a este processo, contribuindo para trazer ao consumidor informações importantes para a decisão de compra.

Segundo Fábio Garcia, gerente de marketing da Goodyear, o PBE é parecido com o programa europeu, mas a diferença é que lá o produto que não atinge o mínimo dos requisitos pode ser comercializado, mas aqui no Brasil não poderá. Segundo Vinícius Sá, gerente de marketing da fabricante de pneus, os dez itens considerados mais importantes para o consumidor são: quilometragem, dirigibilidade no molhado, frenagem no molhado, aquaplanagem em reta, aquaplanagem em curva, dirigibilidade no seco, frenagem no seco, resistência ao rolamento, ruído interno e por último ruído externo.

“Nossos revendedores também serão treinados para atender ao nosso consumidor. Nós temos diferentes plataformas de treinamento para os lojistas e todas estarão disponíveis para eles, pois todos os colaboradores da Goodyear são importantes”, garantiu o gerente.

Com isso, o cliente terá mais informações para escolher o pneu que mais se adequa às suas prioridades, necessidades de mobilidade e custos. 

ETIQUETAGEM
A etiqueta deverá ser aplicada em todos os pneus de construção radial para automóveis, picapes, utilitários esportivos, vans e caminhonetas, bem como nos de construção radial para caminhões e ônibus para aplicação nos serviços Regional, Regional Severo, Rodoviário, Urbano e Misto. Há exceções, conforme o regulamento. 

Para o critério Resistência ao Rolamento serão atribuídas graduações de A a G, de acordo com a eficiência nos testes de resistência ao rolamento; para aderência no molhado serão atribuídas letras de A a G, de acordo com os testes de aderência em superfícies molhadas; já para a aferição de ruído, haverá três ondas. Uma onda negritada significará o menor nível de ruído externo, enquanto as três ondas negritadas representarão o maior nível de ruído externo, de acordo com os resultados de testes. 

 

Comentários