Oficina Brasil


GP Motorcraft: Evento pioneiro do setor estreita laços entre montadora e reparadores

Para os organizadores e parceiros do primeiro GP Motorcraft, o concurso é um marco na relação entre reparador independente, montadora e outros elos da cadeia do aftermarket brasileiro

Por Da Redação

Antonio Taranto, Diretor de Serviços ao cliente da Ford América do Sul, entrega a chave simbólica ao vencedor Ricardo Cramer, junto aos finalistas e equipe de Pós-vendas da FordO Grande Prêmio Motorcraft – Melhor Reparador do Brasil – é um programa inédito de valorização e reconhecimento, destinado aos reparadores independentes de automóveis, que premiou o melhor profissional do setor com um Ford New Fiesta. É uma iniciativa da Ford para revitalizar a Motorcraft, marca da montadora com mais de 700 peças de alto giro, que atendem veículos com um ano até os com mais de duas décadas de uso. O GP Motorcraft contou com a parceria do SINDIREPA Nacional (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios), do SENAI e da Bosch.

Dividido em três etapas, na primeira, os 5.600 inscritos responderam no site do GP Motorcraft a 30 questões sobre conhecimentos técnicos automotivos. O programa foi configurado para o participante responder em apenas 1 hora, a partir do momento que começasse. A dificuldade e seriedade do concurso foram comprovadas pelo número de aprovados nessa fase: apenas 23 gabaritaram. 

Na segunda, a sorte foi o ingrediente principal. Um sorteio na sede do SINDIREPA-SP selecionou os 10 finalistas que disputariam a prova prática, a derradeira etapa que revelaria o Melhor Reparador do Brasil.

Porém na terceira fase a competência e sangue frio dos profissionais foi testada ao extremo pela prova prática que aconteceu na sede da escola SENAI em São Paulo e definiu o grande campeão.

Independentemente dos acontecimentos que se seguiram, o Grande Prêmio Motorcraft é um marco na relação entre o reparador, montadora e outros elos da cadeia do aftermarket. Para Antonio Taranto, diretor de Serviço ao Cliente da Ford América do Sul, o concurso abre as portas para o reparador independente e alavanca uma vantagem competitiva com relação à informação repassada aos mais de 200 mil mecânicos do Brasil. “Em parte, eles são responsáveis pela formação da imagem da marca com os clientes. São formadores de opinião, e dos mais críticos, porque falam de suas próprias experiências.”

Natan Vieira, Vice Presidente de Vendas e Marketing e Serviços da Ford América do Sul

Reforça a percepção geral da magnitude do evento e o impacto gerado na cadeia do aftermarket nacional a manifestação do Vice presidente de Vendas, Marketing e Serviços da Ford América do Sul, Natan Vieira, durante seu discurso no jantar de recepção, que iniciou cumprimentando os finalistas e destacando seu valor profissional.

“Gostaria de lembrar que este é um momento inédito, um marco na indústria automotiva ao reunirmos  uma montadora (Ford – Motorcraft), rede de distribuição (ABRADIF), os executivos dos escritórios regionais da Ford, SINDIREPAs, SENAI, Bosch e os reparadores independentes, numa ação inovadora de integração e valorização profissional, hoje a Ford está mostrando uma cara nova, estamos fazendo inúmeros investimentos tanto no Brasil como no mundo, para sempre melhorar, inovar e entregar produtos da melhor qualidade possível.”, completou Natan Vieira.

Outro fundamental elo da cadeia de reposição, representado por Antonio Fiola, presidente do SINDIREPA Nacional e SINDIREPA-SP, igualmente presente no evento de abertura, manifestou em seu discurso que o GP Motorcraft representa uma profunda e extremamente positiva mudança nas relações entre uma montadora e o profissional independente. 

“É a nossa primeira parceria com a montadora, que vai render muitos frutos. A Ford proporcionou aos 10 finalistas uma oportunidade inesquecível. É uma ação que traz muito orgulho a toda a categoria  e um marco na valorização e reconhecimento da figura do reparador independente.”, finaliza Antonio Fiola.

Ainda no evento de abertura e boas vindas, Adelmo Belizário, gerente regional do SENAI São Paulo e apoiador do GP Motorcraft parabenizou  a Ford,  reparadores independentes e todos os parceiros da iniciativa e em seu  discurso ressaltou a relevância do evento e o papel do SENAI. “É um momento importante para o SENAI, pois estar participando deste evento da Ford só reforça a parceria que mantemos há mais de 22 anos”.

“O SENAI São Paulo forma em torno de um milhão de alunos por ano, destes 38 mil na cadeia automotiva, hoje o investimento para este segmento é de 40 milhões por ano,  para manter nossos cursos de aprendizagem industrial, cursos técnicos, faculdades e formação continuada e assim manter os profissionais sempre atualizados”, disse Belizário.

Outra parceira do GP Motorcraft, a Bosch, líder no mercado mundial de tecnologia e serviços, aproveitou a oportunidade para fomentar o conhecimento tecnológico dos 10 finalistas. “Os grandes pilares da nossa área são serviços, formação e capacitação técnica. Para o GP Motorcraft, fornecemos o scanner, equipamento de teste de diagnóstico utilizado na prova prática, e parte da capacitação técnica na pré-seletiva”, diz Marcelo Lima, gerente de Marketing e Produtos da empresa.

MOMENTOS DE MUITA EMOÇÃO
Os 10 finalistas do primeiro Grande Prêmio Motorcraft – Melhor Reparador do Brasil podem ser considerados todos vencedores, independentemente da prova prática. Entre 4 e 6 de dezembro, vivenciaram dias corridos, animados e cheio de novidades. Todos, sem exceção, elogiaram a organização do evento, a preocupação com cada detalhe, a atenção e o carinho recebidos. “Estão nos tratando com o mesmo cuidado que temos com os carros dos nossos clientes”, compararam vários deles.

Adelmo Belizário, Gerente regional do SENAI-SP

Para alguns, foi a primeira vez que viajaram de avião, visitaram a capital paulista, conheceram a linha de produção de uma montadora, fizeram um tour por uma escola do porte e importância do SENAI, participaram de palestras e treinamentos técnicos e conversaram com executivos graduados. Conceder entrevistas e ser o tempo todo filmado e fotografado? Nem em sonhos.

A essas experiências, somam-se os mimos materiais: hospedagem em hotel cinco estrelas na capital paulista, almoço e jantares em restaurantes prestigiados, roupas – inclusive traje social confeccionado sob medida por um alfaiate  e uma caixa com todas as ferramentas necessárias em uma oficina mecânica, entregues em casa. 

O primeiro dia, 4/12, começou com o deslocamento das cidades de origem para São Paulo, acomodação no hotel, descanso rápido e jantar de boas-vindas. Na ocasião, os organizadores e apoiadores do GP Motorcraft parabenizaram os 10 finalistas, reforçaram a importância do concurso e da parceria entre os vários elos da cadeia do aftermarket.

O dia seguinte, 5/12, foi cheio de atividades. Iniciou com a visita na fábrica da Ford, em São Bernardo do Campo, Grande São Paulo. Na sequência, almoço descontraído no Bar do Nico, próximo ao SENAI Ipiranga, onde a programação continuou no período da tarde.

Além do tour pela escola, passando pelas principais salas, laboratórios e oficinas, tudo acompanhado de explicações, os finalistas participaram de uma palestra sobre a organização. Conheceram um pouco da história do SENAI, sua importância para a economia e desenvolvimento do Brasil, e todos os cursos oferecidos atualmente.

Ainda na escola, um treinamento sobre o scanner da Bosch, equipamento de teste de diagnóstico, que seria utilizado na prova final, no dia seguinte. 

Para encerrar, jantar de confraternização na famosa churrascaria Fogo de Chão da capital paulista. Apesar do ambiente descontraído, sem discursos ou trajes sociais, como na primeira noite, era visível a ansiedade dos 10 melhores reparadores do Brasil. 

Rodolfo Possuelo, gerente de Serviço ao Cliente da Ford do Brasil, também fala com entusiasmo do concurso. “É um setor de extrema importância para nós, pois, fora da nossa rede de distribuidores, são os reparadores independentes que cuidam dos modelos Ford. Reconhecemos o valor desses profissionais e os auxiliamos com o fornecimento de peças e conhecimento técnico, por meio de literatura e cursos.”

O DIA D! CLIMA DA REALITY SHOW!
Depois de dois dias de confraternização, visitas, gastronomia e muita atenção dedicada aos finalistas o sábado dia 6 foi marcado pela tensão, pois era o dia da prova prática. 

Esta etapa derradeira colocou os finalistas diante de um desafio técnico e emocional, pois a prova prática consistia em consertar um carro com tempo cronometrado, diante de um instrutor do SENAI e uma plateia de convidados. Você que é reparador pode avaliar que esta é uma situação de extrema tensão e muito semelhante a que assistimos nos programas de reality show na TV.

Antonio Fiola, Presidente do SINDIREPA Nacional e São Paulo

Assim, no dia “D”, 6/12, a tensão predominava. Engana-se quem pensa que era apenas entre os finalistas. Todos estavam ansiosos. Afinal, era o encerramento do primeiro Grande Prêmio Motorcraft, um marco na relação entre reparador independente, montadora e outros elos da cadeia do aftermarket. O primeiro de muitos outros. “Este é só o começo de uma grande parceria. Vamos repetir o prêmio no ano que vem”, garantiu Antonio Taranto, diretor de Serviço ao Cliente da Ford América do Sul, convidando os atuais vencedores a participarem novamente.

Assim,  foram muitas as emoções que envolveram o dia da prova final do Grande Prêmio Motorcraft, realizada na Escola SENAI Conde José Vicente de Azevedo, no Ipiranga, em São Paulo. 

Nesta última etapa, os competidores tinham que solucionar, em duas horas, um defeito simulado – pane elétrica em um Ford Fiesta Rocam –, com perfeição e qualidade. Os 10 finalistas foram divididos em duas equipes. Enquanto uma quebrava a cabeça, a outra aguardava confinada em uma sala distante, onde o clima era de tensão e ansiedade. “A expectativa é muito grande. Nunca pensei que estaria entre os 10 melhores do Brasil”, falava, emocionado, Welder Vicente de Santana, do Centro de Tecnologia e Reparação Automotiva, de Aparecida de Goiânia (GO).

Enquanto aguardava a conclusão da segunda equipe, desta vez isolado com os seus concorrentes diretos, o finalista Ricardo Cramer, não escondeu a angústia. “Estou na expectativa, muito nervoso. Consegui funcionar o carro e gostaria muito de ganhar. Não só pelo New Fiesta, mas pelo status de Melhor Reparador do Brasil”, explicava, com dificuldade para escolher as palavras, tamanha a ansiedade. 

Mesmo sem saber quem era o vencedor, Claudio de Oliveira Carvalho, da Proauto Diagnóstico e Reparação, de Vacaria (RS), garantia que já tinha na bagagem mais do que os presentes que ganhou. “Nestes dias de GP, aprendi que planejamento é importante para toda e qualquer situação da vida. No dia a dia da oficina não é diferente. Antes de sair mexendo no carro, é preciso estudar o defeito com calma, planejar como vai executar o conserto. Ganha-se tempo e, consequentemente, produtividade, que reflete na lucratividade.”

Depois que o segundo grupo concluiu a prova, os competidores foram chamados ao pátio central do SENAI para a revelação do grande vencedor. 

O vencedor acabou sendo Ricardo Cramer dos Santos, sócio da Aires e Filhos Mecânica e Elétrica, de Santos, no litoral paulista. Além do título de Melhor Reparador do Brasil, ele levou para casa um Ford New Fiesta.  Rodolfo Possuelo, Gerente de Serviços ao Cliente da Ford, Mário Henrique Queiroz, ABRADIF, João Alexandre, regional Ford e José Alberto Almeida, ABRADIFAo saber que era o Melhor Reparador do Brasil, Cramer e sua esposa, Patrícia de Carvalho Pereira da Silva, que subiu a serra para acompanhar a disputa final, se abraçaram emocionados. “Acompanhei de perto todos os momentos do concurso, apoiando-o como podia. Ele é apaixonado pelo que faz. Esta vitória é a realização de um plano de carreira. Estou muito orgulhosa por estar aqui”, declarou, comovida.

A emocionante prova prática coroou o evento, provando que a Ford acertou em cheio ao ousar na formatação de uma promoção tão arrojada, mas que ao mesmo tempo e de forma épica, reproduz o desafio quase diário do reparador diante de panes de difícil solução.

“No dia de hoje os reparadores de todo o Brasil foram homenageados e nós que assistimos a esta emocionante prova, podemos ter uma ideia clara desta profissão maravilhosa e do valor destes profissionais que com inteligência e competência desafiam os segredos de uma mecânica cada vez mais complexa” resumiu de forma emocionada, ao final do evento, o presidente do SINDIREPA Nacional Antonio Fiola. 

Comentários