Oficina Brasil


ZF apresenta suas mais recentes soluções tecnológicas ao mercado

Confira nossa entrevista exclusiva com Fernando Martins Rodrigues, Gerente de Serviços e Vendas da ZF Aftermarket, que fala sobre o Openmatics, a plataforma de gestão de frota da empresa, e muito mais!

Por Da Redação

  1. Desde quando a ZF desenvolveu essa tecnologia?

A ZF criou um projeto de telemática, em 2007, que teve muito sucesso até se transformar em uma marca com estrutura própria, em 2010. O OPENMATICS nasceu para ser uma provedora de serviços digitais. Desde o início das atividades da marca, a intenção da ZF foi juntar em uma única solução de hardware e software com funções que permitem o gerenciamento de frotas heterogêneas (leve ou pesado, e com motorização convencional, híbrida ou elétrica) com detalhamento de dados, análise dinâmicas, monitoramento de combustível, de energia de baterias, manutenções preditivas, etc.

  1. Como um fabricante de autopeças se prepara para uma prestação de serviços com esse grau de especialização?

Mais que uma fabricante de autopeças, a ZF é hoje uma empresa de inovação em tecnologia. Essa preparação já faz parte do DNA da ZF. Neste ano, mais de dois bilhões de euros serão destinados ao trabalho de desenvolvimento em todo o mundo. Isso significa que a parcela do orçamento alocada a P&D aumentará de 6,1% para quase 6,5%, neste ano.

  1. Qual a visão da empresa quanto à tecnologia no setor?

Para a ZF, o mundo da mobilidade está girando em alta velocidade. Por isso, a empresa pretende fornecer aos seus clientes soluções pioneiras em todos os campos, sempre com o nosso mote “Ver – Pensar – Agir”. Tecnologias como a do OPENMATICS são imprescindíveis em ambientes urbanos e rodovias cada vez mais conectados. Não basta apenas ter um gerenciamento rentável: ele precisa ser completo, oferecendo segurança para os usuários das vias, monitoramento online das condições do trânsito e um contínuo check-up dos veículos que permitam paradas programadas e sem impacto no dia-a-dia das transportadoras e dos caminhoneiros independentes, rentabilizando suas operações.

  1. O sistema utiliza as informações da ECU do veículo? Como essas informações são capturadas, transmitidas e processadas?

Nos veículos comerciais, os dados são coletados diretamente da rede CAN através de um sensor magnético e sem a necessidade de contato físico. Já os veículos de passeio, a conexão é feita diretamente na porta OBD, onde estão disponíveis os acessos a ECU do carro.

Os nossos hardwares coletam dados brutos e os enviam para servidores via conexão de rede de telefonia 2G/3G/4G e LTE.

Os recursos da ZF Cloud permitem os processamento e armazenamento desses dados brutos. E também os disponibilizam em formas de web server e API para integrações com softwares terceiros.

  1. Os dados capturados e analisados podem contribuir para a manutenção preventiva e preditiva das frotas?

Exatamente. Inclusive, a mais recente novidade do Openmatics é o “Dashboard”, um aplicativo para facilitar o gerenciamento eficiente de energia também dos veículos totalmente elétricos, que requerem a recarga frequente das baterias e apenas propiciam uma condução tranquila em longas distâncias com o planejamento perfeito da rota. A utilização desses dados também é aplicada para monitoramento da vida útil dos componentes. Hoje já temos alguns projetos para aplicação de Aprendizagem de Máquina (inteligência artificial) supervisionada para detecção de falhas em produtos.

  1. Você pode citar um caso prático de identificação de falhas e diagnósticos?

Hoje, nossa plataforma conta com aplicativos que detectam e interpretam os códigos de falhas presentes da rede CAN do veículo, mas nesse caso estamos colocando em evidência dados passados, ou seja, o problema aconteceu e conseguimos o diagnóstico através dos detectores. Já para predição de falhas, nosso time de pesquisa está desenvolvendo algoritmos que serão capazes de prever a vida útil dos componentes, baseado no padrão e comportamento do motorista e rota.

  1. Você pode citar um caso prático de ganho de eficiência no consumo e na condução do veículo?

Temos exemplos tanto para veículos do segmento de cargas quanto para serviços de transportes públicos. Nesses casos, temos informações que mostram um alcance de resultados significativo na redução de consumo de combustível (na ordem de 8%). Essa redução é proporcionada por alertas que são enviados em tempo real dado ao motorista, através do Driver Feedback, equipamento que é baseado em parâmetros pré-definidos e das regras de negócios do cliente. Isso funciona como se tivesse um treinador a bordo do veículo.

  1. Quanto custa esse serviço para o frotista? Como um frotista pode adquirir esses serviços?

Nosso modelo de negócios é destinado a oferecer soluções de maior complexidade e integrações com diversos sistemas dos clientes. Portanto, fica difícil estimar o custo do projeto sem antes entender o escopo com detalhes das necessidades.

Hoje temos um hardware bem poderoso equipado com diversos sensores como: altímetro, GNSS, GPS, acelerômetro, giroscópio, termômetro, barômetro, Bluetooth, Wifi e modem 4G. Além disso, aliado ao nosso SDK, temos inúmeras possiblidades e soluções para cada operação.

Para aquisição, o interessado deverá entrar em contato com o nosso call center (0800 0111 100) para ser direcionado à equipe de vendas e aplicação.

  1. Quantos frotistas no Brasil e no mundo já utilizam essa tecnologia?

Atualmente, temos no mundo cerca de seis mil veículos utilizando nossa tecnologia.

  1. Fique à vontade para deixar qualquer esclarecimento, recado ou informação para nossos leitores.

O futuro da manutenção já é realidade hoje na ZF. A manutenção dos veículos será algo dinâmico e customizado, ajustando as necessidades de cada cliente e aplicação. A isto chamamos de serviço 4.0

Comentários