Oficina Brasil


CESVI BRASIL promove debate sobre os impactos da tecnologia na reparação automotiva

Conserto, mão de obra e tendências do mercado reparador foram os principais temas do evento

Por Da Redação

O CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária), da MAPFRE, realizou no último mês, em sua sede, em São Paulo (SP), a 17º edição do CERTA (Centro de Referência Técnica Automotiva), com o tema “Os impactos da tecnologia automotiva para a reparação”. O evento reuniu profissionais do mercado reparador e importantes nomes do setor para promover palestras e debates sobre temas técnicos a respeito da evolução necessária das reparadoras para acompanhar o avanço tecnológico de materiais, processos e equipamentos. A reparação adequada de carrocerias em alumínio, adesivos automotivos e o mercado de oficinas foram alguns dos temas abordados no encontro.

O auditório da sede do CESVI BRASIL foi totalmente ocupado por mais de 90 convidados e quem abriu o evento foi Emerson Feliciano, superintendente do CESVI/MAPFRE, que ressaltou a importância da realização do encontro. “O CERTA é um evento capaz de promover a discussão sobre temas relevantes para o mercado reparador e ao mesmo tempo reúne para networking as oficinas que fazem parte da história do Centro”, comenta. Feliciano ainda lembrou que a oficina está novamente num período de buscar conhecimento para não ficar para trás. “O mercado precisa voltar a se atualizar”, finalizou.

A palestra “A evolução do alumínio dentro do setor automobilístico” foi apresentada pelo consultor especialista de mercado e inovação, da CBA, Heber Pires Otomar e pelo coordenador técnico do CESVI/MAPFRE, Alessandro Rubio, que explicaram que existe uma tendência de o alumínio e outros materiais mais leves se tornarem uma opção cada vez mais viável e benéfica para o desenvolvimento de veículos. Segundo Rubio, o maior número de componentes de materiais leves, como o alumínio e compostos de fibra e plástico nos veículos, e a leveza que esses materiais proporcionam, são essenciais para o futuro do automóvel. “Estes materiais estão cada vez mais presentes nos carros, seja por questões estruturais, seja por redução no consumo de combustível e até para a segurança dos ocupantes. Por isso, é fundamental que todo reparador tenha o conhecimento necessário para fazer o conserto da maneira correta”.

O segundo palestrante do dia foi Everton Tobar, engenheiro de aplicações da Henkel, que abordou questões relacionadas ao desenvolvimento de novos produtos e aplicações de adesivos automotivos.

Por fim, o diretor de marketing e vendas, da ICR Brasil, Reinaldo Bigal encerrou o evento falando sobre reparo rápido, o atual momento do mercado das oficinas e as novas tendências em equipamentos para reparo. Bigal salientou que as oficinas precisam investir mais em treinamento para acompanhar a evolução dos automóveis. “Provavelmente vamos encontrar funileiro puxando carro de alumínio com cyborg (método ultrapassado e contraindicado de estiramento). Infelizmente a maioria das oficinas está parada no tempo. E não em termos de estrutura, mas de capacitação de mão de obra.”

Comentários