Loja do Mecânico 960x90


Motos e Serviços - Rino Liciani Jr.

Injeção eletrônica de motos Honda a gasolina e Mix

A BRUBICAR foi pioneira no desenvolvimento de treinamentos de injeção eletrônica em motocicletas e, a partir desta edição, nos dará informações sobre esse assunto que a cada dia vem conquistando cada vez mais seu lugar no mercado

Com design inspirado em motos de grande porte, a nova Honda CG 150 possui um sistema de injeção eletrônica de última geração tecnológica. Seu sistema PMG-F1 conta com catalisador no interior do escapamento e sensor de oxigênio no sistema de exaustão, o que traz benefícios para o sistema de controle de emissões além de atender às normas da PROMOT 3.

Após alterações básicas no software e em alguns componentes do sistema de injeção e na bomba de combustível, foi lançada no mercado a CG 150 Titan Mix, tornando possível, a partir de agora, abastecer uma moto com álcool, gasolina ou com a mistura dos dois. Mas, esse sistema é diferente do Flex dos automóveis, pois a mistura deve ser de 80% de álcool e 20% de gasolina, o que é considerado como uma mistura ideal para partida a frio.

Apesar dessa mistura ser ideal, existem quatro programações básicas para as prováveis condições de misturas:
 
Programa 1: Tanque abastecido apenas com gasolina
Programa 2: Tanque com a mesma quantidade de gasolina e álcool
Programa 3: Tanque com maior quantidade de álcool
Programa 4: Tanque abastecido apenas com álcool
 
Para orientar sobre as necessidades da motocicleta com relação à proporção de combustível para as partidas a frio, já que a moto não possui reservatório separado de gasolina para essa finalidade, há duas luzes no painel (ALC e MIX), que acendem conforme a necessidade da motocicleta.


O painel de Titan a gasolina é azul e da Titan Mix é verde
- Se as duas lâmpadas estiverem apagadas, a partida é possível em qualquer temperatura.
- Se a luz MIX estiver acesa, deve-se abastecer com, no mínimo, dois litros de gasolina.
- Se a lâmpada ALC estiver acesa, é preciso adicionar pelo menos três litros de gasolina.
- Se a lâmpada ALC piscar quando a chave de ignição for ligada, a temperatura ambiente está baixa e o teor de álcool no tanque está alto, o que pode dificultar a partida.
 
Em caso de pane seca, a motocicleta deve ser abastecida com, no mínimo, 50% de gasolina para que o sistema volte a funcionar adequadamente o mais rápido possível.
Apesar de o sistema ser bicombustível, se for utilizada somente gasolina, os números de desempenho são os mesmos da versão antiga, com 14,2 cv de potência a 8.500 rpm e 1,32 kgf.m de torque a 6.500 rpm.
Porém, se estiver abastecida com álcool, há um pequeno aumento do rendimento, para 14,3 cv de potência e 1,45 kgf.m de torque. Além do ganho de potência, a utilização do álcool reduz a emissão de poluentes na atmosfera e pode propiciar maior economia com combustível dependendo do valor cobrado pelo álcool, que sofre grandes variações dependendo da região.
 
ECU
A finalidade desse módulo é gerenciar todas as estratégias operacionais do sistema de alimentação do motor e, para isto, recebe informações dos sensores através dos sinais de entrada, processando-as e executando cálculos pré-definidos para, então, enviar sinais elétricos para os atuadores.
Através do sinal enviado pela sonda lambda para a ECU, é determinada a quantidade de combustível necessária para cada tipo de regime de trabalho do motor, principalmente a estratégia de débito de partida a frio, calculando o débito de partida através da temperatura do motor, temperatura do ar e pressão atmosférica.

 


1- Sensor de Oxigênio;
2- Sensor de Ângulo de Chassi;
3- Sensor CKP;
4- Sensor MAP;
5- Sensor EOT;
6- Bomba de Combustível;
7- Sensor TP;
8- Eletroinjetor;
9- Sensor IAT;
10- IACV;
11- EMC

A relação ar x combustível gera a informação básica para o início do cálculo do TI – Tempo de Injeção. O aumento na injeção de combustível se dá através dos resultados obtidos, alterando o débito de partida e, consequentemente, a amplitude da abertura do injetor. Com isso, a ignição também sofre alteração no avanço e no ângulo de permanência, para queimar maior quantidade de combustível injetada.
 
MODULAÇÃO DA AMPLITUDE
Como o peso molecular da gasolina é mais leve do que o do álcool, o resultado pós-queima será alterado quando existir um ou outro combustível no tanque.

Para se obter um bom resultado, além de boa manutenção do motor, é necessário que:
• O óleo do motor esteja dentro das especificações.
• O óleo do motor não tenha passado do tempo de uso recomendado.
• Os filtros de óleo e ar estejam em boas condições.
• O combustível seja de boa qualidade.

 
SISTEMA PGM – F1
Localização dos Componentes
Alguns componentes podem ser diferentes fisicamente, porém, os valores para medições e condições de testes são os mesmos para a Titan 150, Titan 150 Mix, Biz e Bros.

comentários
Avaliar:

Comentários