Lançamentos - Vinícius Montoia

Ford Fusion Hybrid é o veículo “verde” mais vendido do Brasil e chega com novidades

Ford pretende ter, até 2020, 40% dos seus modelos vendidos sendo elétricos e o Fusion híbrido compõe esta meta. Nova geração do sedã passa a ter piloto automático adaptativo que segue o trânsito e detecção de pedestres

A Ford lançou a nova geração do Fusion híbrido que, como você sabe, trabalha simultaneamente com motor elétrico e a gasolina. Com pouco mais de tecnologia a bordo, o sedã grande da marca americana chega com mais sistemas para ajudarem na condução. De acordo com a Ford, este é o híbrido mais potente da categoria, o seu motor 2.0 Atkinson a gasolina possui 143 cv a 6.000 rpm e 17,8 kgfm de toque a 4.000 rpm. Já o motor elétrico com a transmissão continuamente variável e-CVT que faz o gerenciamento dos dois motores, totalizam uma potência de 190 cv. Aliado com um tanque de 52,7 litros, a autonomia pode ser de até 885,6 quilômetros.

Ford Fusion Hybrid com faróis de LED
De acordo com a marca, o consumo de combustível é de 16,8 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada. Isso se deve por conta das baixas velocidades na cidade, quando normalmente é utilizada mais a bateria e menos o motor a combustão. “O Fusion Hybrid é uma vitrine de tecnologia da marca no Brasil e no mundo. Ele é um exemplo dos avanços da Ford em eletrificação, sustentabilidade, segurança e conforto. Tem um alto conteúdo de inovação e, não por acaso, é um dos produtos com os clientes mais satisfeitos do nosso mercado”, afirma Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

Ford Fusion Hybrid com faróis de LEDTECNOLOGIA

Este modelo só é oferecido, desde que chegou ao país, na versão topo de linha, que é a Titanium. As novidades do sedã híbrido acompanharam as apresentadas no sedã turbo e flex, ou seja, ele também tem piloto automático adaptativo com “stop and go” (sistema monitora o veículo à frente e ajusta a velocidade até a parada total, para manter uma distância segura e volta a andar se o carro ficar parado até três segundos), alerta de colisão com assistente autônomo de frenagem, assistente autônomo de detecção de pedestres (usa radar e câmera para desacelerar e frear o veículo em caso de risco de acidente e funciona até 80 km/h) e estacionamento automático de segunda geração para vagas paralelas e perpendiculares.

Além disso, há alerta de ponto cego e permanência em faixa, sensor de fadiga, monitoramento 360°, cintos traseiros infláveis, oito airbags, alerta de tráfego cruzado, faróis full LED, sistema de conectividade SYNC3, farol alto automático, sensor de chuva, ar-condicionado de duas zonas, partida remota, chave com sensor de presença, teto solar, seletor de câmbio E-Shifter e rodas de 18 polegadas.

Interior continua aconchegante
O preço por tudo isso é R$ 159.500, apenas R$ 5.000 a mais que a versão com os mesmos equipamentos, mas com motor 2.0 EcoBoost de 248 cv. O Fusion Hybrid 2017 recebeu classificação máxima dos principais órgãos certificadores dos Estados Unidos. Além de ser cinco estrelas no padrão NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), também foi reconhecido com o selo “Top Safety Pick” do IIHS (Insurance Institute for Highway Safety), que destaca os carros mais seguros em cada categoria.

A dianteira tem grade ativa
Além do sistema de alerta pós-acidente, que ativa a buzina, o pisca-alerta e destrava as portas nessa situação, o carro conta com Assistência de Emergência, que liga automaticamente para o serviço de atendimento médico de urgência, SAMU, em caso de acionamento dos airbags ou corte de combustível por meio de um celular pareado com o sistema SYNC.

PROPULSÃO

O motor 2.0 Atkinson a gasolina é, basicamente, o que ajuda a gerar a energia utilizada pelo motor elétrico. A bateria que armazena essa energia é de íons de lítio, recarregável e tem capacidade de 1,4 kWh. Esse componente tem 8 anos de garantia de fábrica e a bateria também pode ser recarregada toda vez que o motorista utiliza os freios.

O veículo híbrido combina o propulsor a gasolina e bateria de 1,4 kWh
Outra novidade que fica de olho no motorista é o EV+, que reconhece os destinos mais frequentes por meio do GPS do carro e prioriza o uso do motor elétrico para economizar combustível. Após duas a quatro semanas de uso, ele memoriza os trajetos e passa a otimizar as rotas. A nova grade frontal com controle ativo é outro recurso para reduzir o consumo.

De série o Fusion Hybrid vem também com controle eletrônico de estabilidade e tração, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem e assistente de partida em rampa. A suspensão com sistema McPherson na dianteira e Control Link na traseira proporciona bastante conforto ao veículo.

O Fusion híbrido não é aquele carro feito para te dar emoções, a não ser quando você soma quanto gastou com combustível no final do mês. Para isso ele é surpreendente, além de ser bem equipado e confortável. Um carro cheio de mimos para qualquer tipo de motorista. Além de muito agradável de dirigir, ele oferece espaço de sobra para quatro ocupantes. O porta-malas fica um tanto comprometido por conta da bateria, que ocupa um pouco do espaço do bagageiro. 

Além disso é possível perceber que o sedã é um pouco mais pesado que as outras versões, mas sem comprometer a dirigibilidade. O silêncio interno é um fator muito positivo no modelo, além do para-brisa e vidros laterais dianteiros acústicos. O sedã tem também tecnologia de cancelamento de ruídos ativada pelos microfones e alto-falantes na cabine que, por sinal, são 12 da marca Sony.

O sedã grande tem 4,87 metros de comprimento, 1,85 m de largura, 1,48 m de altura e 2,85 m de distância entre-eixos. “O Fusion Hybrid é o carro com a melhor relação de valor percebido no segmento de híbridos no mercado brasileiro”, diz Fernando Pfeiffer, gerente de Produto da Ford. O sedã chegou ao mercado em 2010 e desde então já soma mais de 1.800 unidades vendidas no Brasil. Segundo a Ford, é um segmento ainda limitado, mas que vem crescendo e promete continuar a avançar nos próximos anos, seguindo a tendência mundial de padrões cada vez mais rígidos de eficiência dos veículos. A montadora afirma que até 2020 quer que 40% dos seus veí­culos da linha Ford no mundo sejam de veículos elétricos, e o Fusion está entre eles, fazendo parte da estratégia global de eletrificação da marca. Esta estratégia prevê um investimento de 4,5 bilhões de dólares até 2020 para o lançamento de 13 novos veículos elétricos.

O espaço interno é primoroso
Para saber: existem hoje no mercado três tipos principais de eletrificação de veículos. Os híbridos, os híbridos plug-in (carrega na tomada) e os puramente elétricos. A expansão desse segmento, segundo Fernando Pfeiffer, depende de fatores como a maturidade do mercado, a experiência de uso do consumidor, a disponibilidade de infraestrutura – como tomadas nas garagens e estações de recarga –, a extensão territorial do país e incentivos governamentais. “A Ford tem um plano de eletrificação e sabe aonde quer chegar. A tecnologia é o coração do nosso negócio e a combinação dessa tecnologia é a chave para o sucesso”, finaliza o executivo.

comentários
Avaliar:

Comentários