Técnicas - Ernesto Miyazaki

Ar-condicionado de uso coletivo no transporte público precisa de manutenção mais dedicada

A cidade de São Paulo possui uma frota de 14.760 ônibus (2016) responsáveis pelo transporte urbano de 2.915.344.011 passageiros (2016) e uma pequena parcela destes ônibus está equipada com ar-condicionado (10%)

Foto 1A boa notícia é que por força de lei (Portaria nº 009/15-SMT), os novos ônibus que estão entrando em circulação são equipados com o sistema de climatização. Apenas para se ter uma ideia, os ônibus biarticulados tem capacidade de transportar até 300 pessoas.

A manutenção do sistema de climatização em veículos de transporte público deve ser muito mais criteriosa devido ao uso intenso e também pela quantidade de pessoas concentradas no mesmo ambiente. O alerta sobre a manutenção de climatização em ambientes públicos surgiu em 1998 com a morte do ministro das comunicações Sergio Motta, (Fig. 1), provocada por uma bactéria “legionella pneumophila” (Fig. 2) que é agressiva e provoca pneumonia grave. Pode infectar pessoas de todas as idades e é mortal caso não seja tratada em tempo hábil.

Foto 2 Com a publicação da Portaria Nº 3.523 de 28 de agosto de 1998, criou-se o Plano de Manutenção Operação e Controle – PMOC, que é um conjunto de procedimentos legais elaborados para monitorar, adequar e manter os padrões de qualidade do ar em ambientes climatizados de uso público.

Esta portaria trata de ambientes fixos (prédios) e o nosso tema é de ambientes móveis (ônibus, micro-ônibus, vans) que ainda não têm uma legislação específica mas podemos fazer uma correlação devido ao uso coletivo.

A manutenção do sistema de climatização dos veículos de passeio já é bem mais conhecida se comparada com a manutenção em veículos maiores como os ônibus, mas com conhecimento e treinamento é possível executar todas manutenções respeitando as dimensões e volumes dos componentes.

Como funciona o sistema de climatização em um ônibus?

• O sistema de ar-condicionado do ônibus é muito similar ao da linha leve. O princípio básico de funcionamento é igual, sendo que o tamanho e a capacidade de troca térmica de cada componente que serão maiores (Fig. 3).

Foto 3

1. Fluido refrigerante: É um refrigerante qualquer corpo ou substância que age absorvendo o calor de outro corpo. Ele fica pressurizado dentro do sistema de climatização.

2. Condensador: Sua principal função é dissipar o calor absorvido pelo fluido refrigerante, retirado pelo evaporador. O fluido refrigerante superaquecido perde o calor para o meio ambiente, passando do estado gasoso para o estado líquido.

3. Filtro Secador: Elemento essencial para reter a maior parte das impurezas e/ou umidade dos sistema, com o objetivo de evitar que chegue na válvula de expansão e compressor.

4. Válvula de expansão: Um dos principais componentes e de elevada importância para regular o fluxo do fluido refrigerante que chega no evaporador.

5. Evaporador: Tem como objetivo absorver o calor do ambiente interno do ônibus, através do fluido refrigerante que vem em baixa pressão após ser expandido pela válvula de expansão, e passa do estado líquido para o gasoso.  

6. Compressor: Ele é o “coração” do sistema. Tem a parte que “puxa” e a parte que  “empurra” o fluido refrigerante. Na sucção o fluido entra no compressor em baixa pressão e temperatura e em formato gasoso, e na descarga o fluido aumenta a sua pressão e temperatura.

7. Acionamento do compressor: Através de um sistema de correias, o compressor é tracionado pelo motor do veículo e acionado por uma embreagem eletromagnética.

8. Ventilador do condensador: Ele precisa ser acionado quando a pressão ou temperatura ficar elevada e esta informação é enviada por um pressostato ou sensores instalados no sistema de ar-condicionado. Sua principal função é baixar a pressão no condensador, ajudando a efetuar melhor a troca térmica.

9. Ventilador do evaporador: Eles podem ser acionados com ou sem o ar-condicionado ligado. Sua principal função é ventilar o ambiente interno ou para otimizar a troca térmica do ambiente interno do veículo.

10. Controlador: Como o próprio nome diz, serve para controlar a temperatura interna do veículo, através de um painel controlador permite ao motorista controlar a temperatura interna desejada.

11. Sensor de temperatura: Componente muito importante para medir a sua temperatura interna, localizado no retorno do ar.

12. Placa de Relés: Componente fundamental que aciona o compressor e os ventiladores do condensador e evaporador.

13. Pressostato ou Transdutor eletrônico de pressão: Componente que faz a função de medir a pressão do sistema, através de um interruptor que liga ou desliga um componente. No caso do transdutor, o componente tem a função de transformar a pressão em grandezas elétricas para informar de um modo contínuo a pressão do sistema.

14. Renovação de ar: Sistema muito importante para umidificar o ambiente, e renovar o ar interno do veículo.

15. Filtro de ar: Muito importante para reter micro-organismos suspensos no ar ambiente, antes que suje e/ou contamine o evaporador e o ambiente.

16. Circulação de ar: Através dos dutos, o ar resfriado no evaporador é distribuído no interior do veículo.

17. Drenos: Servem para drenar a água condensada no evaporador para fora do veículo.

Veja em detalhes os componentes do ar-condicionado em ônibus:

MANUTENÇÃO PERIÓDICA/PREVENTIVA

1. Ventilador do condensador: de 12” e 24 volts; 2. Serpentina do condensador; 3. Filtro secador; 4. Válvula esfera 3/4; 5. Tanque acumulador de líquido; 6. Ventilador do evaporador de 24 volts; 7. Válvula de expansão; 8. Serpentina do evaporador esquerda; 9. Serpentina do evaporador direita; 10. Placa de relés; 11. Sensor de temperatura.

A recomendação dos fabricantes é a substituição do filtro secador a cada um ano. (Sempre verificar o manual de manutenções preventivas de cada fabricante de sistemas).

1. Bloco; 2. Virabrequim; 3. Balanço dianteiro; 4. Balanço traseiro; 5. Kit guarnição; 6. Cárter; 7. Filtro de óleo; 8. Conjunto pistão/biela; 9. Camisa pistão esquerda; 10. Camisa pistão direita; 11. Válvulas de serviço; 12. Conjunto de placa de válvulas; 13. Bomba de óleo; 14. Tampa traseira; 15. Tampa frontal; 16. Rolamento; 17. Cabeçote; 18. Selo mecânico; 19. Válvula de Alívio; 20. Mufla de descarga.

Como relatado no começo desta matéria, como o ônibus pode ser considerado um ambiente público, recomendamos efetuar higienização com a remoção do fluido refrigerante e do evaporador, com a lavagem manual das aletas do evaporador e dutos do sistema de ar-condicionado do ônibus, a cada 3 meses ou mais dependendo do ambiente (cidade) e da contaminação do mesmo.

1. Conjunto embreagem; 2. Polia 2A\2B (diâmetro de 200mm); 3. Kit embreagem; 4. Magneto ou Bobina; 5. Rolamento da polia; 6. Parafuso de fixação.

Vale ressaltar que com saúde não se brinca e que devemos aplicar com prudência todo o processo e procedimentos de higienização, com produtos específicos que realmente eliminem as contaminações do mesmo.

Até o próximo mês!

comentários
Avaliar:

Comentários