Pitstop - Caique Silva

Onix poderá sair do mercado

O compacto da Chevrolet não conseguiu nenhuma estrela em relação à proteção do passageiro adulto em teste de colisão do Latin NCAP

O Programa de Avaliação de Carros novos para América Latina e o Caribe (Latin NCAP), do qual a Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, é parceira, publicou o resultado do Chevrolet Onix conforme novo protocolo de avaliação de 2016. Apesar de líder em vendas, o compacto decepcionou em seus resultados.

O Latin NCAP incluiu, desde 2016, um teste de impacto lateral como parte de seus protocolos, começando a testar alguns dos modelos mais vendidos que, desde 2014, já eram avaliados no impacto frontal.

Por enquanto, o Latin NCAP vem realizando o teste de impacto lateral no Fiat Palio, Peugeot 208 e, agora, no Chevrolet Onix. No teste, foram analisados dados dos dummies (bonecos de teste) para os três modelos. O Onix foi o único que registrou valores que ultrapassam os limites biomecânicos permitidos para o peito no teste de colisão. É uma ofensa à inteligência do consumidor que a General Motors, que afirma que o Onix  é baseado numa plataforma global, não tenha tido êxito na versão avaliada pelo Latin NCAP. De acordo com os resultados do teste foi verificado que o carro não seria aprovado pela regulação da ONU (UN95), nem pela Norma Federal de Segurança Veicular dos EE.UU. (FMVSS214), aplicados na Europa e nos Estados Unidos respectivamente”, afirma Henrique Lian, gerente de relações institucionais da PROTESTE.

O desempenho estrutural do Chevrolet Onix no impacto lateral mostrou um grande deslocamento (penetração) da coluna B, dentro do compartimento do passageiro. Segundo a Proteste, devido a seu pobre desempenho estrutural, a situação não mudaria nem mesmo incluindo airbags laterais. Além disso, a porta traseira do Onix se abriu no teste. A abertura da porta significa um alto risco para os ocupantes, especialmente crianças.

Por conta dos resultados, a Proteste afirmou que irá pedir a retirada do Onix do mercado: “Não consideramos que a América Latina seja depósito para carros fora dos padrões exigidos, no entanto, infelizmente, não parece ser a opinião da GM. A PROTESTE, diante dos resultados decepcionantes do Onix, pedirá a sua retirada do mercado”, conclui Henrique Lian.

comentários
Avaliar:

Comentários