Motos e Serviços - Paulo José de Souza

Problemas no conjunto das carcaças do motor: e agora o que fazer?

O reparador deve respeitar os limites técnicos dos componentes dos motores para que a manutenção seja realizada dentro dos parâmetros estabelecidos pelo fabricante da motocicleta

O conjunto de carcaças do motor, ora denominado cárter ou bloco do motor, pode trincar, a dor de cabeça começa quando o proprietário da motocicleta descobre que não há solução mágica para o problema e o orçamento irá pesar muito no seu bolso, o assunto é sério, há implicações nos documentos, gravação de numeração de carcaças e outras burocracias.

Nesta matéria vamos mostrar em detalhes as carcaças do motor, o leitor irá entender a importância do conjunto tanto para a estrutura quanto para os componentes do propulsor da motocicleta, em nosso estudo apresentaremos alguns diagnósticos de defeitos, causas e também algumas ações preventivas para que os possíveis transtornos possam ser evitados.

 CONSTRUÇÃO DA CARCAÇA DO MOTOR 

O conjunto de caCarcaça inferior e os componentes do motor - Kawasaki Ninja 500rcaças de motor tem uma determinada resistência, mas não tolera maus tratos, possui uma construção complexa, as partes são produzidas em um tipo de liga de alumínio injetado sob pressão, posteriormente usinadas e por último recebem um acabamento final.

As carcaças são fabricadas e combinadas em alta precisão, normalmente não toleram erros de manutenção, na maior parte dos casos as tentativas de reparos não alcançam resultado satisfatório e podem trazer consequências posteriores.

Independente do tipo de chassi, basicamente o bloco do motor faz parte da estrutura da motocicleta e estabiliza o conjunto, a liga de alumínio possui propriedades mecânicas que resistem aos esforços internos causados pelo movimento dos componentes como: câmbio, embreagem, virabrequim, pistão(ões), biela(s) balanceiro e outros. 

Nas carcaças do motor há um conjunto de galerias, canais e giclês de passagem de óleo.Carcaça inferior e os componentes do motor - Kawasaki Ninja 500

A circulação do lubrificante também colabora com a dissipação do calor dos componentes internos do motor.

Além das funções descritas acima a parte externa atua na dissipação do calor do motor.

SINTOMAS DE DEFEITOS NAS CARCAÇAS DO MOTO

Falhas nas carcaças do motor normalmente são caracterizadas pelos seguintes sintomas: vazamento de óleo e vibração na motocicleta

Vazamento de óleo

Na lista de sintomas, o que aparece no ranking é o vazamento do lubrificante do motor, a causa pode ser de uma trinca ou porosidade nas paredes do bloco, o vazamento normalmente será percebido pelo gotejamento de óleo no piso da garagem do cliente. Fique atento, pode ocorrer o desaparecimento do lubrificante do reservatório, um descuido e o motor pode sofrer danos nas diversas peças internas.

Giclê de óleo, carcaça direita - Kasinski Comet 650Se a causa do vazamento não for detectada pelo reparador, a troca dos retentores e das juntas não será a solução e o vazamento logo voltará.

Vibração do motor

É necessário separar o que é vibração normal do que é vibração anormal, portanto, podemos classificar a vibração do motor em duas fases: a fase normal e a fase excessiva.

Na fase normal, durante o funcionamento do motor, mesmo nas mais altas rotações a vibração ocorre e é propagada por meio das fixações até o chassi, normalmente não há coxim de motor para absorver ou minimizar o sintoma, por isso, o condutor percebe as vibrações nas manoplas do guidão e também nas pedaleiras, porém são consideradas normais, não causam danos ao motor, podem variar entre os diversos modelos de motocicletas.

Na segunda fase, quando a vibração torna-se destrutiva, o estado de agitação  excessivo é caracterizado quando atinge uma determinada frequência não absorvida e não suportada pela estrutura da motocicleta. Todos os componentes tem um” X” de elasticidade e seus limites não são detectáveis pelo reparador, as tensões causadas pela vibração atuam continuamente no sistema, Para o condutor pode ocorrer um “formigamento” nas mãos.  Após um período de funcionamento os pontos de fixações nas carcaças do motor tendem a se romper, o estrago também é propagado às fixações do chassi, o fenômeno tem influência direta no desempenho, na dirigibilidade e na segurança da motocicleta. A quebra das peças não tem preferência por lado, a trinca pode atingir uma das carcaças ou ambas.

 AS ORIGENS DA VIBRAÇÃO EXCESSIVA

Entre todos os motivos a vibração da motocicleta pode ser a causa da quebra das carcaças, mas também pode ser a consequência.

Durante a análise, o reparador deve procurar a origem da vibração, ela pode ser causada por falha na fixação de algum elemento estrutural do chassi, a elevada vibração gerada irá danificar o conjunto de carcaças do motor.

Ainda dentro desse enfoque há outra hipótese para justificar a quebra da(s) carcaça(s), agora tendo como causa a vibração excessiva do motor, nesse caso o dano pode ser motivado pela falta de manutenção ou falha nos processo de montagem das partes. Devemos considerar que durante o funcionamento do motor ocorrem diversos esforços dinâmicos dos componentes internos.

CAUSAS DA VIBRAÇÃO EXCESSIVA DO MOTOR

A vibração excessiva originada no motor pode ter inúmeras causas, vejamos:

• Falhas de montagem do motor;

• Folgas internas em excesso;

• Peça(s) com defeito(s) ou de baixa qualidade.

Pontos que devem ser observados no processo de montagem do motor:Procedimento de fábrica, aplicação de junta líquida na carcaça

 • Durante a montagem o reparador deve observar as referências de sincronismo dos eixos, como: virabrequim, balanceiro, comando de válvulas e outros;

• Observar sempre as regras que definem a sequência de aperto de parafusos e prisioneiros;

• Utilizar ferramentas calibradas;

• Não reutilizar parafusos descartáveis no motor, são eles: alguns prisioneiros que se alongam após a utilização, há risco de quebra;

• No fechamento do motor siga as orientações de utilização de junta líquida (cola) recomendada pelo fabricante, nos motores que utilizam junta de papel, prefira sempre a peça de melhor qualidade. 

As folgas, empenamentos e os seus limites 

O reparador deve estar atendo aos pontos de verificação de folgas e empenamentos, são eles:

• Folga entre o virabrequim e as carcaças do motor;

• Folga entre eixos e rolamentos;

• Folga entre rolamentos e as carcaças;

• Folga nos rolamento;

• Virabrequim desalinhado ou desbalanceado;

• Carcaças do motor empenadas;

• Eixos do câmbio empenados.

 Aplicação de peças 

As vibrações e os ruídos podem ser originados nas folgas ou no desbalanceamento do motor, alguns motores multicilíndricos utilizam pistões e bielas com peso especifico, na seleção do conjunto o reparador deve seguir a regra do manual de peças do fabricante, a prática é o único método para não correr o risco de deixar o motor desequilibrado.  Recomenda-se utilizar peças genuínas ou de boa qualidade.

CAUSAS DA VIBRAÇÃO EXCESSIVA ESTRUTURAL 

O chassi da motocicleta pode ser de aço ou alumínio, mas ambos podem ter trincas na estrutura, as falhas podem ter diversas causas:

• Vibração excessiva do motor;

• Falta de aperto nos parafusos de fixação do motor e outros agregados;

• Colisão;

• Alinhamento de chassi;

• Transporte de carga excessiva;

• Excesso de solda no chassi pode fragilizar alguns pontos em que há muito esforço e ocorrem as trincas. 

OutrasCarcaça esquerda do motor, solda para recuperação e de rosca do dreno de óleo - Honda CB 300 causas de quebra de carcaça de motor 

• Batida de pedras na parte inferior do bloco;

• Choque com o piso das ruas;

• Choque térmico;

• Excesso de aperto no parafuso do dreno óleo do motor.

Como ação preventiva para a batida de pedra e o choque com o piso, os fabricantes disponibilizam em suas linhas de acessórios protetores de cárter, porém a peça só pode ser aplicada em alguns modelos de motocicletas.

Carcaça inferior e mancal do virabrequim - Honda CB 400

 Carcaças com defeitos de fábrica 

Falhas nos processo de fabricação tornam as peças fragilizadas, em pouco tempo inicia-se o vazamento e uma possível quebra.

Os defeitos podem ter como causa as falhas no processo de fundição, são observadas as seguintes irregularidades em algumas peças: bolhas de ar formadas durante o enchimento do molde, porosidades, descontinuidade do material, trincas e resíduos incrustados e empenamentos. Alguns pontos internos das carcaças possuem paredes muito finas, após o uso da motocicleta começam aparecer os sintomas de vazamento e trincas.

Os tratamentos de superfícies mal elaborados também são causadores de problemas, mas as causas nem sempre são detectáveis nas primeiras revisões de garantia dos fabricantes.

Normalmente o reparador não está aparelhado para elaborar uma análise mais aprofundada no que se refere aos ensaios de material, como: identificar porosidades, microtrincas, etc. Ainda no tema defeitos de fábrica, as falhas dessa natureza devem ser diagnosticadas e resolvidas no período de garantia do veículo.

Manutenção preventiva 

Na lista de manCarcaça direita, numeração do motor - Honda Shadow 600utenções preventivas dos principais fabricantes normalmente não há referência direta quanto aos serviços que devem ser executados nas carcaças, porém a manutenção da motocicleta é um cuidado indireto que interfere no conjunto e assegura vida longa ao bloco do motor. O reparador deve sempre recomendar que seu cliente siga a tabela de revisões preventivas conforme o modelo da motocicleta.

Bloco trincado, o que fazer? Há recuperação?

Há quem discorde, mas a utilização de recursos como: cola, massa plástica ou solda nem sempre resolvem, em alguns casos apenas retardam o efeito da quebra.  Basicamente os fabricantes não definem procedimentos de reparo, no nosso caso a solução é a trocaCarcaça inferior do motor e virabrequim - Yamaha YZF R1 da(s) carcaça(s), porém há o impacto do orçamento, visto que na lista de peças e em alguns casos as carcaças do motor devem ser substituídas aos pares, ex.: superior e inferior ou esquerda e direita.

Para completar o orçamento, há a necessidade de substituir outros componentes: juntas, anéis de vedação e bronzinas

No que tange à parte burocrática o outro agravante é que uma das carcaças recebe uma série numérica de identificação,

Por isso alguns reparadores, quando possível, optam por trocar apenas o lado danificado para poupar seu cliente dos embaraços com o despachante e a remarcação da tampa. As motocicletas de média e alta cilindradas são mais sensíveis na questão do aproveitamento de uma das partes, normalmente as carcaças são mancais do virabrequim, as partes são usinadas e recebem codificação para a seleção de bronzina de virabrequim.

Por isso trocar um lado nem sempre será a solução.  Podem ocorrer dificuldades nos ajustes das folgas e a consequência mínima poderá ser um ruído que evoluirá para um dano maior nos eixos de virabrequim, balanceiros, câmbio etc.

Virabrequim - referências de combinação para a seleção de bronzinas - Yamaha YZF R1

comentários
Avaliar:

Comentários