Evento - Mariane Mirandola

Uma nova era: Volkswagem apresenta estratégia modular MQB para modelos compactos

Sistema será implementado primeiro no novo Polo e vai oferecer o que há de mais moderno em termos de desing, inovação, alta performance e segurança

“Uma virada de página”, esse foi o termo utilizado pelo presidente da Volkswagem no Brasil, David Powels, ao apresentar o sistema MQB - que será utilizado no novo Polo – carro que, segundo ele, será lançado no último trimestre no Brasil. Segundo Powels, essa estrutura é o que há de mais moderno no sistema e permitirá ao veículo ser o primeiro em sua categoria em oferecer um quadro de instrumentos totalmente digital. “Mais do que somente lançar um novo produto, estamos reposicionando a nossa marca e preparando o lançamento de grandes novidades”, afirmou durante evento com jornalistas.

Os veículos baseados nesse tipo de estratégia modular oferecem recursos disponíveis, até então, apenas em veículos de classes superiores, como o Golf e o Passat. Inicialmente a base dará origem a quatro modelos completamente novos, que serão lançados no mercado latino-americano nos próximos anos.

Na prática, as vantagens proporcionadas pela Estratégia Modular MQB são grandes e inclusive contribuem para que se atinjam as metas de redução de CO2. Ainda segundo a montadora, os veículos produzidos na Estratégia Modular MQB apresentam grandes reduções de peso – sem comprometer a segurança ou o conforto de condução e a seleção de material inteligente e a construção melhorada colaboram para economizar peso na área do chassi.
Novo Polo e uma nova geração de sistemas de infotainment

Com a nova Estratégia Modular MQB, o Novo Volkswagem Polo vai inaugurar no país a nova geração de sistemas de infotainment, anteriormente disponível apenas em veículos de classes superiores. Com o objetivo de buscar conforto e segurança, vários sistemas de assistência e infotainment serão oferecidos, como por exemplo, o Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão e o sistema Discover Media com tela sensível ao toque de 8 polegadas e aparência de smartphone, além de duas entradas USB com capacidade de 2 ampéres, além do painel 100% digital. O veículo contará também com uma configuração dianteira independente tipo McPherson e interdependente na traseira, com eixo de torção. Os pneus “verdes” colaboram para a redução de combustível

Motor TSI de 128 cv e 200 Nm – o maior torque da categoria

Com três cilindros e 999 cm³ de cilindrada, o motor TSI que equipará o Novo Polo é Total Flex, capaz de rodar com gasolina, etanol ou a mistura dos dois combustíveis em qualquer proporção. Com etanol, sua potência máxima é de 128 cv, com torque máximo de 200 Nm (20,4 kgfm), com gasolina ou etanol.

Garantindo uma aceleração com menos trocas de marcha e contribuindo na economia de combustível, o motor TSI fornece o torque máximo de 200 Nm a partir de 1.500 rpm e de de acordo com a Volkswagen, o torque é o grande responsável pela sensação de performance e deslocamento.

Graças à utilização de bloco ultrarrígido, feito de alumínio leve fundido sob pressão (peso: 13,5 kg) e sua construção compacta com três cilindros em vez de quatro, o motor TSI Total Flex é cerca de 10 kg mais leve do que os equivalentes de quatro cilindros.

O veículo conta também com duplo comando de válvulas variável na admissão e no escape, correia dentada para o acionamento das válvulas e polias triovais, partida a frio em alta pressão e coletor de escape integrado ao cabeçote. Além disso, a montadora traz para o veículo o sistema BSW, que identifica situações de discos de freio molhados, em condições de chuva. O sistema de freios trabalha para aproximar as pastilhas dos discos de freio dianteiros, em frações de segundo e de forma imperceptível para o motorista, com o objetivo de secar os componentes e garantir o menor espaço de frenagem possível. Esse sistema atua acima de 70 km/h e com o limpador de para-brisa acionado.

Active Info Display – exclusividade no segmento

Todos os instrumentos são implementados virtualmente via software. Somente as luzes/ícones na borda inferior do mostrador são implementados em hardware.

Informações de navegação podem ser mostradas em 2D ou 3D, em uma tela de 10,25 polegadas, do tamanho de um tablet. Sua resolução de 1.440 x 540 pixels permite gráficos extremamente precisos e de alta qualidade. Por exemplo, o modo de navegação: nesse caso, o velocímetro e conta-giros são deslocados para os lados, a fim de criar mais espaço para o mapa.

As informações sobre as funções de condução, de navegação e de assistência podem ser integradas em áreas gráficas do velocímetro e conta-giros, conforme necessário. Dados que são exibidos no console central pelo sistema de infotainment, como contatos de telefone ou capas de CD, também podem ser exibidas no Painel Digital Programável.

Nova transmissão de seis marchas

Caracterizado pela suavidade nas arrancadas e trocas rápidas de velocidades, o câmbio AQ250-6F conta com bloqueio do conversor de torque em diversas condições de uso, o que evita o deslizamento interno do componente, reduzindo o consumo de combustível.

A transmissão oferece a opção de trocas manuais sequenciais Tiptronic, operada por meio da alavanca de câmbio ou pelas aletas (paddle shifts) no volante. O motorista também conta com o modo de acionamento esportivo (posição “S”), que altera os momentos das trocas de marchas para rotações mais elevadas, proporcionando aceleração mais rápida, para um comportamento mais dinâmico do veículo.

Chassi – Mais conforto e segurança

A Estratégia Modular MQB proporciona a aplicação de sistema de direção com assistência elétrica. Além do conforto e precisão, uma de suas principais vantagens em relação aos sistemas de assistência hidráulica é só demandar energia quando necessário, representando uma redução no consumo de combustível de até 3% quando comparado com um sistema de direção com assistência hidráulica (convencional).

O sistema de assistência elétrica não utiliza fluido em seu funcionamento, o que é outra vantagem em relação à assistência hidráulica.

Além disso, o motorista poderá contar com o controle de tração, que tem a função de reduzir o escorregamento das rodas durante a aceleração ou quando o veículo começa a destracionar, com o ESC – que funciona como um alerta para evitar colisões traseiras e o ESC aciona as luzes de pisca-alerta na frequência de 1,25Hz, indicando que o veículo está parado.

O sistema MSR (Motorschleppmomentregelung ou Controle do Efeito Freio Motor) evita o escorregamento das rodas em pisos de baixo atrito devido ao efeito do freio-motor e o ESC – Controle eletrônico de estabilidade – reconhece um estágio inicial de que uma situação de rodagem crítica está para acontecer. O sistema HHC (Hill Hold Control) ou controle de assistência de partida em rampa mantém o veículo freado por até 2 segundos em um declives acima de 5%. O sistema HBA (Hydraulic Brake Assist system) reconhece a frenagem de emergência por meio da velocidade de acionamento e da pressão aplicada no pedal. O BAS aumenta ativamente a pressão de freio, que é então modulada pela intervenção do ABS. Quando o motorista reduz a pressão no pedal de freio ou ocorrer redução da velocidade do veículo abaixo de um limite mínimo, ocorre o fim da assistência de frenagem.

Outro recurso é o GMA (Giermomentaufbauverzögerung ou Controle do Momento de Giro), que diminui a possibilidade de giro do veículo em piso com diferentes níveis de atrito. O sistema também proporciona diferentes forças de frenagem no momento da desaceleração até que a rotação das rodas seja equalizada.

comentários
Avaliar:

Comentários