Técnicas - Pedro Luiz Scopino

Aula 7: Administrando a sua oficina mecânica - Peças na Oficina

O que devemos fazer quando fornecemos a peça nos serviços automotivos, calculando as despesas com pagamento no cartão de crédito, impostos e responsabilidade na peça

Eu costumo dizer ao meu cliente que a peça que eu instalo é da marca Scopino, que o cabo de vela é Scopino, a embreagem é Scopino, e até a válvula termostática é da marca Scopino. Por quê? Para agregar valor, garantia e confiabilidade ao meu cliente, já que são poucos e raros casos em que o consumidor conhece sobre peça de carro.

Isso mesmo, com poucas exceções como amortecedor ou bateria, raramente o dono do carro escolhe a marca da peça, e esta responsabilidade cai diretamente nas mãos da empresa de reparação automotiva.

Mas nem tudo são flores

Vejam a seguinte situação: O cliente autoriza a oficina a comprar uma determinada peça junto com os serviços envolvidos, e depois descobre que a peça que a oficina cobrou cerca de R$ 165,00 tem o valor na concessionária de R$ 100,00, e então? Como saímos em uma situação deste tipo?

A resposta não é nada simples, mas envolve uma série de explicações e podemos citar as despesas com pessoal, com nota fiscal, com conferência da peça, com juros de cartão e uma margem de lucro, se é que aplicar ainda uma margem de lucro é possível?

Em aulas e consultorias a oficinas do nosso país, é muito comum ver empresários pegarem o valor de compra e multiplicar por 1.35, exemplo:

Mas será que neste exemplo a margem de lucro real é mesmo de 35%? É claro que não.

Então devemos analisar quanto devemos adicionar ao custo de uma peça aplicada na minha oficina mecânica para obter uma pequena margem de lucro e suprir as despesas envolvidas nesta operação.

Quanto custa dividir em 3x no cartão de crédito?

1) Pode ser que meu fornecedor divida a compra em duas vezes.

 2) Que determinado produto já esteja em seu estoque.

3) Pode ser que seja um importador que pede pagamento à vista.

4) Dependendo da sua negociação com a “bandeira” da sua máquina de cartão de crédito, e para exemplo fixar em 3x no cartão ou de débito, temos os seguintes exemplos:

Ou seja, você vende por 100,00 e recebe 86,28, isso só na despesa de negociação do cartão em 3x.

Kit de correia e tensionador

Peças para serviços no arrefecimento

Quanto custa as questões fiscais envolvidas?

É nota fiscal que entra no fornecimento das peças, é nota fiscal de saída.

É compra em Estado e venda em outro.

Se temos por base uma alíquota na circulação de mercadorias de 18%, com variações conforme o estado, mas diferentes tributações se for Simples por exemplo.

Quantas pessoas tenho envolvidas nesta operação?

Pode ser que a oficina mecânica tenha um profissional na retirada e entrega das mercadorias, ainda assim posso ter um motorista ou um motoboy, ou um comprador na relação de meus colaboradores.

Todos nesta situação são parte dos custos com o fornecimento de peças na empresa de reparação automotiva.

Neste exemplo, ao custo da peça, para compor um valor que possa valer a pena para a oficina fornecer e ser responsável pela peça instalada, se faz necessário fazer os cálculos acima mencionados, isso pode variar de região, principalmente se falando de diferença de valores entre Estados, de negociações com seu banco, fornecedor e pagador na utilização do cartão de crédito ou de débito e pessoal envolvido.

Além de todos estes valores citados, temos ainda legalmente falando, quando fornecemos a peça, que ela faz parte da nossa “garantia”, ou seja, tem que valer a pena, tem que ser valorizado.

Portanto, é importante que todos saibam que pode não ser tão interessante financeiramente falando, fornecer os serviços automotivos junto com as peças, se os cálculos não forem bem efetuados, não forem bem analisados, pode ser melhor o Cliente fornecer a peça, mas isto já é assunto para nossa próxima aula, até o nosso próximo encontro!

comentários
Avaliar:

Comentários