Pitstop - Da Redação

Ford cria boné que pode salvar vidas: Conheça o “Safe Cap”

O recurso inédito de segurança foi anunciado pela montadora no evento de comemoração dos 60 anos de produção dos caminhões Ford no Brasil

A Ford Caminhões desenvolveu uma tecnologia inovadora para ajudar os caminhoneiros a rodar com mais segurança e evitar uma situação comum na sua rotina de viagens: o cansaço no volante. Trata-se do Boné Alerta, que à primeira vista parece um boné comum, mas vem equipado com sensores capazes de interpretar os movimentos de cabeça do motorista e avisa ao detectar que ele está sonolento – ou, como se diz popularmente, “pescando” na direção.

O alerta é feito pela geração de três tipos de sinais: vibratório, visual e sonoro, orientando o motorista a fazer uma parada de descanso antes de seguir viagem. O primeiro passo na criação do acessório foi a realização de um estudo para identificar os movimentos do caminhoneiro relacionados à sua rotina normal de trabalho e os que indicam sono. Essa base de dados depois foi transferida para a unidade central de processamento do boné, que funciona conectada a um acelerômetro e um giroscópio para identificar cada tipo de situação.

“A Ford é a primeira montadora a pensar em um ‘wearable’ (tecnologia de vestir) para utilização enquanto o motorista está ao volante e que pode contribuir na prevenção de acidentes. Dessa forma, reforçamos nosso compromisso de trazer tecnologia embarcada não só nos veículos, mas também em acessórios capazes de facilitar a vida do motorista, e o foco na segurança como prioridade nos nossos investimentos em tecnologia”, disse Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

O Boné Alerta da Ford foi testado durante oito meses por um grupo selecionado de motoristas, por mais de 5.000 km em condições reais de rodagem. Ele também foi apresentado a especialistas da área de segurança de tráfego e estudos do sono, que reconheceram o seu potencial para auxiliar na prevenção de acidentes nas estradas.

O protótipo se encontra em fase de testes, com vistas ao processo seguinte de patenteamento e certificação, e ainda não há planos para a sua produção e comercialização no curto e médio prazo. A Ford mostrou interesse em dividir essa tecnologia com parceiros e clientes para avançar no seu desenvolvimento e viabilizar a sua introdução no mercado.

comentários
Avaliar:

Comentários