Motos e Serviços - Paulo José de Sousa

Segurança e tecnologia - conheça o sensor de ângulo de inclinação do chassi das motocicletas - Parte 2

A evolução da tecnologia proporciona benefícios e torna as motocicletas mais seguras e por conta disso os principais fabricantes desenvolveram um sensor que desliga o motor em caso de queda

Na edição anterior apresentamos o sensor de ângulo de inclinação do chassi das motocicletas 250 da Yamaha.

Nesta matéria vamos apresentar o sensor BAS (Bank Angle Sensor) que equipa o scooter Honda Lead.  Fig. 1

Fig. 1 - Sensor BAS- scooter Honda Lead

No scooter, assim como nas motocicletas, o sensor mede o ângulo de inclinação do chassi, a peça é fundamental para a segurança do condutor e do veículo, porém não pode ser confundido com um inclinômetro.

Só para esclarecer, o inclinômetro é responsável pelo monitoramento do ângulo de inclinação de alguns tipos de veículos, ele avisa por meio de um sinal acústico ou luminoso até onde a inclinação lateral ou longitudinal são permitidas, reduzindo as possibilidades de capotamento ou derrapagem, mas não é o nosso objeto de estudo, o dispositivo não está presente no scooter.

Pensando em segurança é bom ter em mente que a distância entre o solo e o scooter é bem menor que em uma motocicleta, então nesse caso encontrar o limite de inclinação durante a pilotagem fica por conta da técnica do condutor, lembrando que fazer uma curva com um scooter é diferente de uma motocicleta, a ciclística da moto adota outra concepção, tendo em conta algumas das diferenças como: diâmetro das rodas, centro de gravidade e posição de pilotagem, mas não é está a nossa pauta.

A função do sensor BAS é detectar a inclinação do chassi, e em caso de queda o funcionamento do motor será cortado.

O sensor tem um papel bem diferente dos demais sensores que equipam o sistema de injeção PGM-FI, por meio do dispositivo não são gerados parâmetros para correção ou alterações no tempo de injeção e ignição.

Já os demais sensores atuam fornecendo dados fundamentais ao ECM, que por sua vez executa cálculos para otimizar o consumo de combustível, reduzir emissões e melhorar o desempenho do motor conforme as solicitações do motociclista.

As informações relacionadas à inclinação do scooter servem apenas para manter o motor ligado em condições seguras, caso haja inclinação superior ao limite máximo, que é algo em torno dos 49+/- 4°, o funcionamento do motor será interrompido por meio do corte da alimentação da bomba de combustível (veja o diagrama elétrico)

Neste modelo o sensor está localizado na parte traseira do chassi, bem na extremidade, ele é alimentado pela tensão (V) da bateria. Fig. 2, Fig. 3, Fig.4

Fig. 2 - Remoção do compartimento sob o assento

Fig.3 - Localização do sensor

Fig.4 - Remoção do sensor

Estruturalmente o sensor é montado em coxins que absorvem a vibração, em caso de excesso poderia  provocar falhas no funcionamento do motor ou até desligá-lo.

Uma informação muito básica para o reparador experiente, mas necessária para o amador é a referência de montagem, quando invertida o veículo não irá funcionar, por isso durante a instalação do componente deve-se observar o detalhe gravado na carcaça do sensor, a referência “UP” deve ser montada sempre para cima, a maioria dos sensores ou interruptores de inclinação adotam a mesma referência.

Na Lead a injeção eletrônica é semelhante aos demais sistemas, relês; sensores; atuadores e interruptores compõem o conjunto, tudo está integrado.

Caso haja algum defeito no circuito elétrico ou no próprio sensor BAS o sistema não será acionado e o scooter não irá funcionar.

A boa notícia é que o Lead assim como os demais scooters são simples, por isso compreender  o funcionamento facilitará o diagnóstico dos possíveis defeitos que poderão ocorrer no sistema no dia a dia da oficina.

REQUISITOS PARA O FUNCIONAMENTO DO MOTOR

Para compor o sistema de segurança há um relé no circuito, a estratégia do dispositivo é interromper o fluxo elétrico ao abrir o circuito durante as emergências (queda), forçando assim o desligamento do motor.  O relé de parada do motor está localizado na frente do scooter, logo atrás da carenagem frontal,  junto à bateria e também ao ECM. 

O funcionamento do motor é permitido somente quando o relé fecha o circuito, neste momento  a bomba de combustível é energizada pela tensão da bateria através de um  relé  próprio junto ao negativo do ECM.

ENTENDENDO O DIAGRAMA ELÉTRICO

O circuito acima mostra que a tensão (V)  proveniente da bateria segue dois circuitos, sendo o circuito após o interruptor da ignição (1) de alimentação relé principal (2) e o que atende ao relé de parada do motor (3),sensor BAS (4) e relé da bomba de combustível (5).

Como regra, para que a tensão (V) alimente os relés, bomba de combustível e também o ECM  há uma condição necessária: o interruptor da ignição (1) deve estar ligado, o scooter deve estar na vertical (em pé).  O sensor percebe a posição e faz a ligação dos circuitos por meio dos contatos dos relés, condição necessária para que  o scooter funcione. Fig. 5
Fig.5 - Diagrama elétrico de acionamento da bomba de combustível

1. Interruptor da ignição
2. Relé principal
3. Relé de parada do motor
4. Sensor BAS
5. Relé da bomba de combustível

DICAS IMPORTANTES

Evite o contato do sensor com a água e outros produtos que comprometem a vida útil da peça.

A vedação do sensor normalmente é boa, mas suas conexões estão sujeitas a oxidações e falhas no contato.

Nunca remova ou instale um componente do sistema elétrico com a chave de ignição ligada.

É importante lembrar que a condição da bateria é fundamental para o funcionamento do sistema.

Caso haja uma pane no sensor ou no circuito elétrico, o scooter não irá funcionar mesmo que esteja na posição vertical.

Nunca instale alarmes ou dispositivos de segurança na fiação do relé.

DIAGNÓSTICOS DE DEFEITOS

Passos para a inspeção do sistema:
1. Coloque o scooter apoiado no cavalete central.
2. Deixe o interruptor de ignição desligado.
3. Remova o assento e o compartimento sob o assento.
4. Remova os parafusos do sensor.
5. Mantenha o sensor na posição normal e ligue a chave de ignição.
6. O sensor estará normal se o relê de parada do motor emitir um click.
7. Com o interruptor da ignição ligado incline o sensor aproximadamente 49 +/- 4° para os lados esquerdo e direito. O sensor estará normal se o relé de parada do motor emitir novamente um click indicando que o circuito do relé está aberto e nesta condição o motor não irá funcionar. Fig. 6

Fig. 6 – Teste de inclinação do sensor

Caso o sensor não funcione inspecione todo o circuito, caso não haja falhas substitua o sensor e verifique novamente.

Para o mesmo sintoma de defeito, o sensor poderá estar normal, porém o relé de parada do motor pode apresentar defeitos, faça o teste do relé separado do circuito.

INSPEÇÃO DO CIRCUITO

1. Coloque o scooter apoiado no cavalete central.
2. Deixe o interruptor de ignição desligado.
3. Desacople o conector do sensor de inclinação. Fig. 7
4. Ligue o contato da ignição.
5. Com um multímetro na escala DCV meça a tensão(V) nos terminais do conector do lado da fiação do scooter.

Fig. 7 - Suporte do sensor BASsensor

CONEXÃO DO MULTÍMETRO:

 Preto (+)     Verde ( -)

Resultado padrão: A voltagem obtida deve ser igual à da bateria.

Durante o teste caso não obtenha o valor de tensão igual ao da bateria, verifique os itens abaixo:
- Circuito aberto no fio Preto
- Circuito aberto no fio Verde

Caso a voltagem da bateria seja indicada, verifique conforme descrição abaixo:

CONEXÃO DO MULTÍMETRO:

Vermelho/laranja (+) Verde (-)

Resultado padrão: A voltagem obtida deve ser igual à da bateria.

Se a voltagem da bateria não for indicada, verifique quanto à possibilidade de circuito aberto no fio vermelho/laranja.

comentários
Avaliar:

Comentários