Motos e Serviços - Paulo José de Sousa - pjsou@uol.com.br

O sistema de partida é essencial, mas sua importância só é percebida no dia que ele começa a falhar

Os sistemas de arranque são confiáveis, porém a manutenção deve estar em dia para não correr o risco de “ficar na mão” na hora de ligar a motocicleta

Nem sempre é só apertar o botão e pronto, os primeiros sinais de falhas nos mecanismos de partida elétrica aparecem quando o motociclista tem que exigir um pouco mais para fazer o motor funcionar. 

Outros defeitos também interferem na eficiência da partida elétrica, por isso nesta matéria vamos estudar o funcionamento do sistema de partida e como são feitos os diagnósticos dos principais mecanismos. 

O sistema de partida é essencial na motocicleta, mas sua importância só é percebida no dia que ele começa a falhar ou deixa de funcionar, nas motocicletas mais antigas o sistema de partida elétrica era combinado com o sistema a pedal, atualmente a combinação de sistemas não é mais utilizada. 

Algumas motocicletas utilizam um sistema de partida totalmente mecânico, ou seja, partida a pedal, normalmente denominada KS (Kick Start)  outras adotam a sigla ES (Eletric Start) ou partida elétrica.

É comum a dúvida entre alguns motociclistas: se é viável adaptar um sistema de partida elétrica na motocicleta a pedal; é possível, porém não é aconselhável, o custo elevado não justifica a alteração na motocicleta.

CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE PARTIDA ELÉTRICA
Na motocicleta o sistema basicamente é montado em dois circuitos associados à fiação principal (chicote elétrico), vejamos:

Circuito de alta potência: opera em alta corrente (A), ao dar a partida o motor de arranque solicita uma corrente superior aos 60A.  

O circuito é constituído pela bateria, relé de partida (solenoide), cabo positivo do motor de partida, motor de partida.

Circuito de controle: o circuito opera em baixa corrente (A) o suficiente para ativar o relé de partida, é composto pelos seguintes itens: luz de neutro (ponto morto), interruptor de neutro, diodo, fusível, botão da partida (interruptor de partida).

OBJETIVO E FUNCIONAMENTO DE ALGUNS COMPONENTES:
Relé de partida ou bobina de solenoide:
protege o sistema elétrico do alto fluxo de corrente (A), atua como um interruptor, sua função é ligar a bateria ao motor de partida por meio dos cabos de alta espessura (grossos), quando a bobina do relé recebe a tensão da bateria ela é energizada e faz a ponte (ligação) da bateria ao motor de arranque. 

Relé de partida Honda Titan 150
Relé de partida sistema antigo
Diagrama de instalação do relé da Titan 150
Porque o relé de partida “emperra”: É comum ouvir entre os reparadores que o “relé colou”, na verdade o embolo do solenoide travou, por consequência o motor de arranque continuará funcionando mesmo sem o motociclista acionar o botão de partida. 

Normalmente existem duas causas para o sintoma: oxidação por infiltração de água, ou o relé está derretendo pela alta temperatura alcançada nas inúmeras repetições de partidas ou partidas exageradamente prolongadas.

Jumper no relé de partida
Como recurso alternativo, para movimentar o motor de arranque e dar partida no motor da motocicleta em caso de pane no relé, vale uma dica do manual de serviços da Yamaha: faça uma ponte (jumper) entre os terminais do relé, utilize um cabo auxiliar de mesma capacidade do cabo do motor de arranque, cuidado com as faíscas.

A falta de manutenção preventiva na motocicleta criará dificuldades na partida e sobrecarrega o relé, provocando o seu derretimento

Motor de partida: normalmente é montado no bloco do motor acima ou abaixo do câmbio, é ligado ao virabrequim por meio de uma engrenagem intermediária e uma embreagem unidirecional (catraca). 

Nas décadas anteriores a motocicleta Agrale e o Scooter Vespa (partida elétrica) utilizavam um sistema de Bendix junto ao motor de partida (dispositivo de engrenagem de avanço de acoplamento). 

Sistema Bendix na partida da Motocicleta Agrale
Alto consumo (A) da carga da bateria:
para o motor elétrico gerar torque de rotação, uma carga elevada é necessária para impulsionar o motor da motocicleta, movimentando virabrequim, pistão, comando de válvulas, volante e outros itens, proporcionando rotação capaz de fazer o motor funcionar.  

Escovas: são montadas em um ou dois pares na extremidade do motor de partida,  as escovas fazem o contato elétrico interno  do (positivo e negativo) no comutador, durante o funcionamento  ocorre um atrito mecânico, por isso, há um desgaste nas peças.

Sintomas de mau funcionamento no motor de arranque normalmente são causados por falha de contato nas escovas, as falhas podem ser provocadas por desgastes ou falha nos contatos devido a incrustações de impurezas nos pontos de contato elétrico. Falta de pressão nas molas das escovas também pode ocasionar falha de contato. 

Escovas e mola do motor de partida
Outros problemas também podem ser ocasionados por falhas de contato na fiação, aterramento, infiltração de água no motor de arranque.

Falhas no anel de vedação do motor de arranque normalmente são a causa de vazamentos de óleo do motor.

Diagnóstico das escovas: medir espessura do ponto de contato, substituir se a medida estiver abaixo do padrão do fabricante da motocicleta.

Escovas e mola do motor de partida
INDUZIDO/COMUTADOR
 
Induzido e comutador, o par compõe a parte móvel do motor elétrico, eixo com enrolamento de fios de cobre e comutador. O contato elétrico ocorre entre as escovas e o comutador, assim é promovido o movimento de rotação do eixo induzido.

Instalação do induzido nas escovas do motor de arranque
Diagnósticos: 

• Desgastes das barras do comutador;

• Continuidade entre as barras do comutador;

• Não pode existir continuidade entre o comutador e o eixo do induzido;

• Falha de aterramento entre o motor de arranque e o bloco do motor da motocicleta;

• Possível curto-circuito entre o terminal positivo do motor de partida e a carcaça. 

Analise os seguintes pontos de possíveis desgastes:  

• Eixo;

• Buchas;  

• Calços; 

• Imãs.

EMBREAGEM UNIDIRECIONAL
O mecanismo é composto de rolamento de rolos e placa, atua em sentido único, funciona como uma catraca de bicicleta. A rotação do motor de arranque move o mecanismo, que por sua vez movimenta o motor da motocicleta, quando este funciona e atinge uma determinada velocidade ocorre uma força centrífuga que faz os rolos da embreagem se reposicionarem, de forma que o movimento de rotação do motor de arranque não tenha mais efeito. 

Placa de partida e volante magnético – motocicleta Kasinski Comet 650
Embreagem unidirecional patinando: é um dos problemas mais comuns detectados, os desgastes nos roletes fazem com que o torque do motor de arranque não seja transmitido na íntegra até o virabrequim,  que por sua vez não gira ou gira  com dificuldades e a motocicleta não funciona.

Diagnóstico básico: 

• Na inspeção, o reparador deve tentar girar o mecanismo nos dois sentidos, caso isso ocorra é necessário substituir a peça.

Bateria: A bateria é o primeiro item na inspeção do sistema de partida, a falta de manutenção da peça interfere diretamente na sua vida útil, vale lembrar em dias frios as motocicletas Flex podem ter dificuldades na partida, tensão padrão mínima 12,6V.

ENTENDENDO O DIAGRAMA ELÉTRICO
No funcionamento do conjunto durante a partida, os interruptores de neutro e embreagem fazem a função de dispositivos de segurança, só permitindo que a motocicleta dê a partida em duas circunstâncias, ora em ponto morto (neutro engatado), ora com a marcha engatada e a embreagem acionada, as duas condições permitem que a bobina relé receba o aterramento e seja energizada quando o interruptor de partida for acionado e fornecer o positivo para o relé, veja no diagrama do circuito.



Atendida a condição acima, o relé liga a bateria ao motor de partida durante o tempo em que o botão de partida estiver pressionado, vale lembrar que o interruptor da ignição deve estar ligado.

Diodo: a função do semicondutor é assegurar sentido único da corrente, interrompendo o circuito, impedindo que o aterramento feito pelo interruptor da embreagem acione a luz de neutro e a lâmpada acenda sempre que a embreagem for acionada, sendo que o correto funcionamento é acender sempre que o ponto morto estiver posicionado. 

Localização do diodo da Honda Fan 150
Localização do diodo da Honda Titan 150
Dica:
Quando ocorrer falhas no interruptor da embreagem a partida da motocicleta não irá funcionar com a marcha engatada, somente em neutro.

comentários
Avaliar:

Comentários