Loja do Mecânico 960x90


Mercado/CINAU - Da Redação

Representamos 70% do mercado!

Única mídia dirigida ao segmento automotivo de reparação gerenciada pela ciência do Marketing Direto, mais especificamente na formação/gestão de database, o jornal Oficina Brasil atinge a marca recorde (com auditoria) de 53 mil oficinas em sua base de leitores

Desde sua fundação em 1989, o jornal Oficina Brasil sempre destacou-se por seu objetivo de qualificar os leitores em detrimento dos meios clássicos da mídia impressa, uma vez que, assinantes (mesmo pagantes) e o canal “venda em banca” nunca garantiram a segmentação e a qualificação do público leitor.

Neste cenário desafiador de “qualificação” do leitor (garantir 100% profissionais da mecânica em nossa base de distribuição) é que começamos a aplicar os princípio de Mar­keting Direto que nos permitiram identificar onde estava o profissional da reparação. Para comprovar nossa diferenciada metodologia de qualificação do leitor, reproduzimos ao lado imagem da campanha veiculada em 1991 “ONDE ESTÁ O MECÂNICO BRASILEIRO?”

Com inspiração na ciência do Marketing Direto, adotamos um política na qual o reparador, para receber o jornal, não precisava pagar nada, porém “pagava” sua assinatura com informações sobre sua atividade, tamanho da oficina, serviços realizados, etc.

Este mecanismo em que troca-se a assinatura do jornal por informações dos leitores, na ciência do Marketing Direto, dá-se o nome de “permission marketing” (que numa tradução livre pode ser algo como “marketing da permissão”) ou mais modernamente no mundo digital de “opt-in”.

Assim, não foi por acaso que em 1995 a Editoria Germinal Ltda. (detentora do título Oficina Brasil) filiou-se à ABEMD (Associação Brasileira de Marketing Direto) no Brasil e DMA (Data Marketing Association) nos Estados Unidos. Pois, estes dois mais respeitados e destacados ambientes de geração de cultura e informação de marketing direto no Mundo serviram de plataforma para que o projeto editorial de mídia impressa logo juntasse outras ferramentas, que se transformaram em unidades de negócios complementares, como a OFICINA DIRETA (área especializada em CRM, database marketing, programas de incentivo, BI, entre outras), CINAU (Central de Inteligência Automotiva, especializada em pesquisa de marketing), TV OFICINA BRASIL  (treinamento) e GUIA DE OFICINAS BRASIL (uma programa contínuo de relacionamento com oficinas qualificadas).

Já na parte “on-line”, na qual o Grupo iniciou atividades em 1998 e hoje marca presença na internet como um portal, um FORUM, dois Aplicativos, Facebook, Youtube e Twitter.

“Nossa presença na internet é também uma consequência de nosso foco em Marketing Direto, afinal o mundo digital é direto por natureza e nos fascina a sua capacidade de mensuração imediata de resultados, que no tempo analógico era feito com cartas-resposta e os famosos anúncios CALL TO ACTION, que ainda não saíram de moda, pois geram vendas imediatas para os anunciantes” Explica Cassio Hervé, fundador do jornal.

Mas afinal, onde está o reparador?

Nestes mais de 27 anos de atuação do Grupo Oficina Brasil, e sua missão, formar a mais qualificada e eficiente plataforma de comunicação com o reparador brasileiro, uma coisa fica evidente: é fundamental ter informação e agir amparado em dados e fatos.

Esta necessidade (para não comprar gato por lebre) fica mais evidente com a popularização do mundo digital.

Hoje em nosso país, já são mais de 100 milhões de brasileiros conectados, assim, qualquer ação na internet tende a gerar milhões de engajamentos.

Para citar apenas um deles, veja o fenômeno do “Youtubers”,  criaturas ou grupos,  até então anônimos, que reúnem milhões de seguidores. O mais impressionante é que estes fenômenos de comunicação desprezaram os canais “tradicionais” de mídia, e alcançam o “estrelato” tão somente pelas ações “virais”, mas sem fonte qualificada da informação, o que preocupa ainda mais.

Pois em um cenário em que a mídia segmentada anda “inflando” os números no embalos do fácil engajamento on-line, é muito importante sabermos dimensionar quantitativamente nosso universo quando falamos de público segmentado.

Veja o nosso caso: a plataforma de comunicação do Grupo Oficina Brasil opera com foco em um público específico: profissionais reparadores automotivos dedicados à manutenção de veículos da linha leve: automóveis e comerciais leves.

Pois, segundo dados oficiais do setor (SINDIREPA NACIONAL-2017) existem no Brasil 75.482 oficinas operando neste segmento. Também há outro dado oficial que aponta que em cada um destes estabelecimentos atuam, em média, quatro profissionais produtivos (incluindo o dono do estabelecimento).

Neste cenário, e amparados em dados oficiais, podemos estimar que a população foco e alvo do trabalho do Grupo Oficina Brasil corresponde a, aproximadamente, 300 mil pessoas.

Este número, comparado aos dados de qualquer ação na internet, são muito diminutos, pois imagine um “youtuber” que reúna 300 mil seguidores, será considerado um cara “fraquinho”, pois o padrão das grandes estrelas deste canal é coisa pra lá de milhão...

 Já que abordamos o ponto “quantitativo” da internet, quando partimos para o “qualitativo” a coisa fica ainda mais complicada quando se trata de público específico e segmentado.

Um exemplo prático disso aconteceu recentemente, quando o Facebook do jornal Oficina Brasil foi o primeiro a romper a marca de meio milhão de seguidores.

Porém com uma campanha responsável o jornal fez questão de esclarecer, que este seria uma fato a ser comemorado não fosse o fato de que não existe meio milhão de reparadores no Brasil dedicados à linha leve (automóveis e comerciais leves).

Isso nos dá uma ideia do mundo distorcido e difuso da internet, e quando se trata de público segmentado é preciso ter muita cautela, para não cair na armadilha da quantidade sem qualificação.

“Umas de nossas obsessões sempre foi a qualificação do público leitor do jornal, pois esta é a garantia que podemos oferecer aos nossos investidores, sobre o destino de suas verbas de marketing e comunicação, e neste sentido o mundo digital precisa ser olhado com parcimônia e, principalmente, amparado em dados e fatos, pois fica fácil comprar “audiên­cia”, porém o que garante a “qualificação” neste ambiente?”, esclarece Hervé.

Segundo a Diretoria do Grupo Oficina Brasil o caso do Facebook do jornal ilustra bem esta situação das “miragens” que se criam no mundo digital quando se trata de público segmentado. Porém, dentre as iniciativas do Grupo na área digital, uma delas consegue qualificar muito bem o internauta (garantia de que é um reparador), diz respeito ao FORUM do jornal Oficina Brasil, que hoje reúne 120 mil seguidores, todos reparadores.

Assim, passados mais de 25 anos da primeira campanha do jornal Oficina Brasil “onde está o mecânico brasileiro”, o desafio continua mais intenso do que nunca, pois se comunicar com quem efetivamente interessa continua sendo nossa obsessão, afinal precisamos respeitar as verbas de nossos investidores e é justamente nestes sentido que temos ótimas notícias para o mercado.

Desde a edição de abril de 2015 o jornal Oficina Brasil vem divulgando na capa um selo alusivo ao atingimento de 56% do mercado de oficina. Na época o censo oficial do setor dava conta de que – dedicados a linha leve e comercial leve – existiam no Brasil 75 mil oficinas mecânicas e a base de leitores do jornal (de forma comprovada) atingia 42 mil estabelecimentos de reparação.

Diante destes números (100% auditados em tiragem, distribuição e circulação pelo IVC – Instituto Verificador de Comunicação) é que passamos a estampar o selo, que marcou nossa capa, por todo este tempo, e serviu como marco indicativo desta conquista, construída  sobre os mesmos alicerces que fundamentam os ideais do Grupo Oficina Brasil desde a sua fundação.

Já somos 70% do mercado!

“Desde a divulgação do selo na capa do jornal, continuamos trabalhando ativamente na qualificação de nossa base de leitores e hoje estamos comemorando a marca de 53 mil estabelecimentos comprovadamente recebendo nossa publicação, isso perfaz, 70% do mercado!” comemora Hervé.

Pois esta é a ótima noticia que queríamos dividir com o mercado e principalmente nossos investidores, pois o jornal Oficina Brasil, mais do que nunca e de forma comprovada, representa a mais eficiente e plataforma de comunicação com o reparador brasileiro.

Afinal se alguém tem dúvidas de onde está o reparador brasileiro, nós não temos.

Pois onde tem oficina, tem Oficina Brasil.

comentários
Avaliar:

Comentários