Chão da Oficina - André Silva

Pat-Paulicéia, tradição e modernidade na manutenção de transmissões automáticas

Com mais de trinta anos de experiência, a Pat-Paulicéia é reconhecida nacional e internacionalmente como centro de excelência na prestação de assistência técnica em transmissões automáticas

Setor de remoção e instalaçãoCom mais de trinta anos de experiência, e atualmente sob o controle da terceira geração familiar, a Pat-Paulicéia é reconhecida nacional e internacionalmente como centro de excelência na prestação de assistência técnica em transmissões automáticas. Tal reconhecimento permitiu que ao longo dos anos ela conquistasse destaque na reparação de transmissões automáticas para as principais montadoras e importadoras de automóveis atuantes no Brasil, além de atender oficinas independentes e clientes particulares com o mesmo padrão de qualidade.

QUALIDADE 
Um sistema de transmissão automática é algo complexo, desde as antigas GM Hidramatic até as atuais com nove marchas e gerenciamento eletrônico, este sempre foi, e continuará sendo, um dispositivo que exige cuidados específicos no processo de reparação. Sem estes cuidados, fatalmente o reparo não será bem sucedido, causando transtornos ao cliente e prejuízos consideráveis ao reparador.

As três geraçõesConceitualmente, uma transmissão automática é composta por robustas engrenagens planetárias, catracas e embreagens banhadas a óleo, responsáveis por transmitir a rotação do motor às rodas. Mas o controle destes componentes, atualmente, é realizado por um delicado sistema mecatrônico, constituído por microprocessadores, solenoides, sensores e atuadores que agem sobre o fluido hidráulico, que, por sua vez, pressiona as embreagens alterando a relação de marchas. Esta junção entre robustez e delicadeza é uma peculiaridade que precisa ser levada em conta tanto no diagnóstico quanto na reparação de uma transmissão automática. Tendo isso em vista, a Pat-Paulicéia equipa seu laboratório com modernos aparelhos de diagnóstico e testes mecânicos e eletroeletrônicos.

Já a parte mecânica da transmissão, embora menos sensível, também recebe todos os cuidados necessários, que começam com uma lavagem a quente, secagem e pintura da carcaça, que é um dos poucos componentes mecânicos mantidos (raramente substituído) no processo de reparação. Os demais, sujeitos ao desgaste decorrente do uso, são todos analisados através de parâmetros estabelecidos pelos fabricantes das transmissões e substituídos por novos e originais caso seja necessário.

Mão-de-obra femininaPara o perfeito funcionamento da transmissão automática, a Pat-Paulicéia também emprega um dinamômetro, equipamento que simula o uso da transmissão no veículo em diversas situações, proporcionando aos clientes qualidade e confiabilidade, podendo assim oferecer 12 meses de garantia, sendo isso um diferencial no mercado de reparação. 

ORGANIZAÇÃO
Para atender a enorme demanda proveniente das concessionárias, a Pat-Paulicéia está instalada em um galpão de aproximadamente 3.800 metros quadrados, no bairro da Lapa, em São Paulo-SP, próximo à Marginal Tietê, o que permite fácil acesso às transportadoras que trazem e levam as transmissões para os quatro cantos do Brasil. Com uma estrutura departamentalizada, que se compara a uma linha de montagem, pode-se notar a infraestrutura diferenciada já no setor de recebimento: guinchos elétricos para a movimentação das transmissões, esteiras rolantes que ligam a área de desmontagem, limpeza, análise, pintura, montagem e teste, finalizando no setor de expedição. Essa estrutura proporciona eficiência produtiva, conforto e segurança aos colaboradores.

Dinamômetro de transmissãoA questão ambiental também recebe grande atenção na Pat-Paulicéia, que adota práticas de sustentabilidade tais como: recipientes para coleta seletiva de lixo, separação de água e óleo, utilização de produtos biodegradáveis para a limpeza das peças, ótimo aproveitamento de luz natural, cabine de pintura com cortina da água, descarte correto de derivados de petróleo e metais feitos por empresas certificadas, colaborando assim com a preservação do meio-ambiente.

Outra particularidade curiosa, e importante, são as embalagens utilizadas pela Pat-Paulicéia a fim de garantir a integridade das transmissões durante o transporte. São desenvolvidas para cada modelo de transmissão, feitas de material reciclado e muito resistente.

 

MÉTODO
Estoque de peças A Pat-Paulicéia oferece um atendimento ágil, já que dispõe de um enorme estoque de peças necessárias à reparação, também possui importação própria de componentes originais, e um software para controlar e rastrear todos os processos de produção, além de uma equipe com décadas de experiência na área, o que permite obter um diagnóstico rápido e preciso, e efetuar o reparo num curto período de tempo.

Aliás, a equipe merece grande destaque. Contando atualmente com mais de cinquenta colaboradores. Segundo Rodrigo Buzzi, diretor da empresa: “a Pat-Paulicéia investe em capacitação proporcionando treinamentos nas mais diversas áreas”. A empresa, inclusive, possui um centro de treinamento exclusivo para sua equipe, uma vasta literatura técnica, intercâmbio de informações e visitas a fabricantes de transmissões no exterior (Europa e Estados unidos).

Mas se a atualização constante é vital para uma empresa que lida diariamente com alta tecnologia, a experiência também é. Prova disso é o senhor Pompeu, o colaborador mais antigo da Pat-Paulicéia, e também seu fundador. Indiferente às mais de oito décadas de vida, ele ainda trabalha diariamente na empresa, aprimorando processos e transmitindo seu conhecimento, a fim de manter a excelência desta que é uma empresa referência no Brasil e no exterior.

Setor de montagem de transmissões  / Sistema de aproveitamento de água da chuva

comentários
Avaliar:

Comentários