Oficina Brasil

Publicidade

Mon12222014

Última atualização02:58:31 PM GMT

Parte 2 - Descrição e operação da transmissão FNR5 (Ford Fusion)

Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 
  • Anterior
  • 1 of 3
  • Próximo
 Em continuação ao tema iniciado na edição anterior, partimos para a descrição do corpo de válvulas e a visão geral do controle da transmissão FNR 5 utilizada no Ford Fusion.
 
O corpo das válvulas tem 8 válvulas solenóide:
• três válvulas solenóides PWM. (moduladas por largura de pulso)
• três válvulas solenóide de mudanças (lig./desl.). 
• dois solenóides de controle de pressão da válvula reguladora principal.
As embreagens individuais e cintas de freio recebem pressão das válvulas solenóide PWM e das válvulas solenóide de mudança (ligadas / desligadas), processando assim as mudanças na caixa de transmissão.
As válvulas solenóides PWM permitem a atuação direta das embreagens e cintas de freio para garantir mudanças extremamente suaves através do controle preciso da pressão.
As válvulas solenóide de mudanças (lig./desl.) controlam o circuito hidráulico para as embreagens e cintas de freio, reduzindo o número de válvulas moduladoras necessárias.
A válvula reguladora principal (Solenóide de Força Variável (VFS)) garante a pressão hidráulica suficiente em todas as condições de operação.
 
 
Válvulas Solenóide de Modulação por Largura de Pulsos (PWM)
As válvulas solenóides PWM controlam a pressão às cintas de freio e embreagens.

Válvulas Solenóide de Mudanças (Lig./Desl.)
As válvulas solenóide de mudanças (lig./desl.) controlam as diferentes passagens de fluido no corpo das válvulas para encaminhar a pressão às embreagens e cintas de freio individuais.
As válvulas solenóide de mu­danças são necessárias para a atuação direta das cintas de freio e embreagens individuais.
 
Válvulas Reguladoras Principais
As válvulas reguladoras principais (solenóides de controle de pressão) controlam a linha de pressão principal de cada uma das faixas de velocidades da transmissão.
A linha de pressão principal é controlada de acordo com a carga atual do motor.

Modulação por Largura de Pulso (PWM) dos Solenóides de Mudança, Solenóide de Mudanças A (SSA), Solenóide de Mudanças B (SSB) e Solenóide de Mudanças C (SSC)
Os solenóides de mudanças do tipo PWM ajustam a pressão de saída de acordo com o sinal recebido do TCM e controlam a pressão de cada embreagem.
Sem uma corrente elétrica aplicada aos solenóides, o orifício de suprimento (linha de pressão) no solenóide se abre e é acoplado ao orifício de saída (pressão da embreagem). Em conseqüência, a pressão hidráulica é fornecida à passagem hidráulica para a pressão da embreagem.
Com uma corrente elétrica aplicada aos solenóides, o orifício de suprimento (linha de pressão) no solenóide se fecha e o orifício de saída (pressão da embreagem) e o orifício de dreno são acoplados para drenar a pressão da embreagem.  
 
Solenóides (Lig./Desl.) Solenóides de Mudanças, Solenóide de Mudanças D (SSD), Solenóide de Mudanças E (SSE) e Solenóide de Mudanças F (SSF)
DESLIGADA: Com uma corrente elétrica aplicada aos solenóides, o orifício de saída e o orifício de dreno são acoplados no solenóide e a pressão de saída é drenada.LIGADA: Com uma corrente elétrica aplicada aos solenóides, o orifício de saída e o orifício de suprimento são acoplados no solenóide e as pressões de saída se tornam equivalente à pressão do solenóide de redução.
 
 
Solenóide de Controle de Pressão A (PCA)
O PCA tem uma alta estabilidade na pressão hidráulica que foi adotada para o controle da linha de pressão.Como o solenóide de controle de pressão controla a pressão hidráulica de acordo com o valor da corrente elétrica, o grau de liberdade no controle aumenta. A capacidade de controle é mantida mesmo sob aeração e a variação de pressão pode ser reduzida.Mudando-se o valor da corrente elétrica (0 - 1 amp) dentro do solenóide, o PCA ajusta a pressão de manutenção e a válvula de manutenção de pressão, controlando a pressão na pressão hidráulica determinada.
 
Solenóide de Controle de Pressão B (PCB)
O solenóide de mudanças do tipo ligado / desligado ajusta a pressão de saída de acordo com o sinal recebido do TCM e controla a pressão de cada embreagem.
 
Embreagem Unidirecional (OWC) N° 1
A pista externa da embreagem unidirecional (OWC) gira livremente no sentido horário, porém os calços sobem para bloquear a rotação quando a pista externa tenta girar no sentido anti-horário. A OWC bloqueia a rotação da engrenagem interna dianteira no sentido anti-horário e também bloqueia a rotação do planetário traseiro no sentido anti-horário por meio do suporte do planetário traseiro.
 
Embreagem Unidirecional (OWC) N° 2
A pista externa da OWC gira livremente no sentido anti-horário, contudo o rolete move-se para a direita e bloqueia a rotação quando tenta girar no sentido horário. A OWC bloqueia a rotação da embreagem de direta no sentido horário e também bloqueia a rotação no sentido horário da engrenagem solar secundária por meio da embreagem de direta. O cabo da alavanca seletora no lado da transmissão é fixado a uma esfera na alavanca de controle manual.
Os suportes do cabo estão presos na caixa de transmissão e ao suporte da alavanca seletora manual.
O dispositivo de regulagem do cabo da alavanca seletora manual está situado no lado da transmissão do cabo.
Na extremidade no lado da alavanca seletora, o cabo está preso a uma esfera.
Na próxima edição encerraremos esta série com a descrição do módulo de controle da transmissão (TCM), do programa de funcionamento de emergência e dos sensores que estão ligados à caixa. Até lá.
 

Você precisa ser registrado para comentar - Login